Relógio Incerto

10:48

Relógio de horas alinhadas,
de tempo que nunca foi meu,
de oportunidades fugidas,
e ponteiros inexistentes. 

Relógio daquilo que passou,
dos tempos que marcaram,
do futuro que ainda não chegou,
e dos sentimentos que restaram.

Relógio que bombeia recordações,
uma mistura de sentimentos com pó,
como uma salada cheia de frutas
e tão cheia de um amor só.


You Might Also Like

22 comentários

  1. Paulo, voce sempre com poesias lindas...

    ResponderEliminar
  2. Ese Reloj que controla el Tiempo que nunca lo vimos como nuestro. Del Tiempo que no nos dio oportunidades para poder acompañarlo...Ese Reloj, que es una esfera de Recuerdos con agujas que hacen sufrir.
    Precioso, Paulo.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  3. Há quanto tempo, querido Paulo.

    ResponderEliminar
  4. O tempo ainda nos pertence pois perceber o que foi vivido e o que faltou marca no relógio no vazio do ponteiro, e esse poema foi marcado no tempo que o li ou foi o amor pela arte.
    Abraços Paulo!

    ResponderEliminar
  5. Olá Paulo! Fico feliz por saber que continuas em grande com a escrita. Já disse e volto a dizer, não percas esse talento, que os relógios andam para a frente e é preciso irmos com eles =)

    Tens um selo para ti no meu blogue, ok? Beijinhos*

    ResponderEliminar
  6. Um coração que bate em compasso de espera...
    Beijito.

    ResponderEliminar
  7. Grande Paulão ...Belo e sábio gostei muito querido amigo um abraço Pedro Pugliese

    ResponderEliminar
  8. Um relógio faz o seu percurso sempre para a frente...
    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. Belo texto, adorei como sempre!
    Um abraço*

    ResponderEliminar
  10. Sempre simpático. Muito obrigada :D

    ResponderEliminar
  11. O tempo nos trazendo as melhores nostalgias.

    ResponderEliminar
  12. Oh, como era bom se às vezes esse "relógio incerto" parasse. E que parasse nas horas certas. E que fizéssemos desse tempo, o melhor tempo possível. Adorei, está lindo.

    ResponderEliminar
  13. Relógio que marca o tempo do que foi e do que deixou de ser,
    Que mede os nossos passos,
    Que encontra percalços e ainda assim não deixa de marcar a vida.

    Ah o tempo,senhor de tanta coisa não?!

    Oi Paulo,adorei a poesia!E uma coisa estranha,toda vez que venho aqui me inscrevo ali nos seguidores,mas quando você posta não aparece pra mim e não tenho ideia do porquê,coisas do blogger né,rsrs
    Uma ótima semana,abraçãoo querido,=)

    ResponderEliminar
  14. Quanta sabedoria Paulo você trançou nesse poema. Parabéns!
    Desejo uma ótima semana!
    Aproveito desde já, pra te desejar um Natal cheio de muitas alegrias, e que o espírito do Natal te guie durante o ano novo que está para começar. Feliz Natal e Próspero Ano Novo!
    Beijos!

    Refletindo com a Smareis

    ResponderEliminar
  15. http://www.vatinam.net
    Have a nice and lovely blog dear, please visit me...

    ResponderEliminar
  16. Poesias que dizem muito sempre se
    encontra no seu blogue.
    Venho desejar-lhe a si e sua
    Família um Feliz e Santo Natal.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  17. OI PAULO!
    ESTE RELÓGIO QUE ESCRAVIZA, QUANDO AS HORAS SÃO DE ESPERAS...
    LINDO TEXTO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI

    ResponderEliminar
  18. Linda poesia, amei o post.

    amei seu blog tbm, estou seguindo. Vc poderia seguir o meu tbm?

    http://sonhosdocesonhos.blogspot.com.br/

    bjus e obrigada!

    ResponderEliminar
  19. É engraçado como o tempo corre, mas parece que não dá para esquecer daquela pessoa ou deixar de se apaixonar todo dia. Se for assim, é amor (:

    ResponderEliminar
  20. Como gosto daqui passar, sempre com palavras lindas que me preenchem a alma. Parabens.

    ResponderEliminar
  21. Obrigada, o mesmo para ti! :) **

    ResponderEliminar
  22. adoro a tua escrita e, naturalmente, que também já cá estou!

    ps - bolinho é que já não há!!! ;)

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *