Esquecimento

11:42

Nunca me senti preparado para esquecer. Para abandonar à beira da estrada recordações que me fizeram ser tão fiel aos meus sentimentos. Só a simples ideia de esquecer, já faz doer o peito. Porque a vida é construída por momentos, por esses únicos actos em que encenamos com o intuito de não cair do palco, por isso, a importância não é dada ao figurino e ao local, mas a quem contracena connosco e aquilo que é sentido. Por isso não irei ceder a tentações do tempo. Não quero apressar-me, quero apenas aproveitar o momento de mãos dadas com a intensidade. Não quero receber buquês de tempo desperdiçado mas, sim, sorrisos de concretização. Mas é depois de aprender a sorrir que esquecer dói mais. E quando é sobre amor, esse, nunca é totalmente encoberto. Mas simplesmente este amor já se foi, já não tenho como o apanhar. Porque o amor é como a água de um copo, depois de derramada, jamais se colocará toda novamente lá dentro. Por isso prefiro esquecer, do que tentar emendar um ponto da vida que fora mal dado. Prefiro esquecer e sofrer a tentar do que voltar a tecer histórias ilusórias de sentimentos furtados. Por hoje, eu tento  esquecer, amanhã talvez eu sofra, mas sempre irei sentir como se vivesse cada momento de novo, e de novo como da primeira vez. Esquecer dói, mas viver e continuar a sentir o sentimento errado dói ainda mais. Mesmo que a circunstância do sentimento seja a certa, o coração nem sempre está pronto para amar se já nem sabe como se ama a ele mesmo.





You Might Also Like

28 comentários

  1. afastei-me um pouco daqui , mas vamos sempre a tempo de mudar isso*
    - Como tens estado ?

    ResponderEliminar
  2. Acho que nunca nos sentimos totalmente preparados para esquecer, é algo que aprendemos com o tempo, mas que, como dizes, em relação ao amor, nunca é totalmente concretizado. Adorei*

    ResponderEliminar
  3. Olá!!!

    O Amor doí...esquecer esta dor é impossível...mas é possível viver para além desta dor que nos machuca e nos envolve numa teia de que podemos sempre retirar "Rasgos" de prazer que nos valoriza para sempre como seres humanos.

    Gostei muito:))
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  4. Se sentir preparado para esquecer pode ser um encontro conosco mesmo que nos tornamos forte para as outras possibilidades da vida de amar para que doa menos como você disse na tua obra.
    Amei este trecho "Por isso prefiro esquecer, do que tentar emendar um ponto da vida que fora mal dado. Prefiro esquecer e sofrer a tentar do que voltar a tecer histórias ilusórias de sentimentos furtados. Por hoje, eu tento esquecer, amanhã talvez eu sofra, mas sempre irei sentir como se vivesse cada momento de novo, e de novo como da primeira vez"
    Abraços, obrigado pela visita e comentário.

    ResponderEliminar
  5. "Mas é depois de aprender a sorrir que esquecer dói mais. E quando é sobre amor, esse, nunca é totalmente encoberto." - Conseguiste pôr-me a chorar.. a serio. E sim, tens razão.. não é fácil decidirmos esquecer algumas coisas.. e esquecer dói.. mas lembras doí muito mais, porque ou já não é nosso e pertence a outra pessoa, ou fugiu-nos da mão e jamais a recuperaremos.. ou e uma coisa impossível que sabemos nunca se vir a tornar possível, ou até mesmo que se tornou possível e em poucos momentos se voltou a tornar impossível.. Esquecer dói, mas lembrar dói muito mais.. Por isso, por vezes esquecer é a melhor opção, mesmo que tenhamos de esquecer por vezes também as coisas boas..porque lembrar, sim lembrar, também magoa..

    ResponderEliminar
  6. Uno, en ocasiones, se resiste a olvidar aquellos momentos en los que fue feliz. Esas circunstancias, esos sentimientos...esa fidelidad a nuestras convicciones. Volver página es muy doloroso. Creo que hay quedarse con lo bueno de una relación y aventurarse en encontrar otra, teniendo en cuenta los fallos que pudiéramos haber cometido en el Pasado...Por eso no es bueno Olvidar, si no es con tranquilidad y "saber estar".
    Muy buenas Reflexiones, Paulo.
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
  7. tem muitas coisas que gostaria de esquecer, mas são difíceis de conseguir...

    ResponderEliminar
  8. Outros amores virão, acredita!
    Boa reflexão.
    Abraço-te

    ResponderEliminar
  9. penso que o esquecer é algo simplesmente impossível, tu nunca esqueces; por mais que tentes e por mais tempo que passe os momentos aconteceram e vão ficar sempre marcados na memória.
    Adorei o texto, é tão verdadeiro e profundo!
    E tenho a dizer-te que roubei um pequeno paragrafo e pus no tumblr, devidamente assinalado em como foste tu que escreves-te!
    Obrigado por seres como és ♥

    ResponderEliminar
  10. ando melhor que nunca em certas coisas porque há outras que nem com o passar dos anos passam :c

    - ja tinha saudades das nossas conversas.

    ResponderEliminar
  11. Eu também nunca estive, e nem nunca me preparei pra deixar algumas recordações pra trás. Mais tem algumas que dói, fere, e esquecer ainda é a melhor solução.

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  12. "Porque o amor é como a água de um copo, depois de derramada, jamais se colocará toda novamente lá dentro." Adorei, adorei!
    Estou de volta!

    ResponderEliminar
  13. em tão poucas palavras disseste tudo :)

    ResponderEliminar
  14. adoro seus textos! a vida é tão cheia de surpresas!
    E o amor é tão surpreendente quanto a felicidade que na sua inconstância destrói cada rastro de duvida de que não exista.

    ResponderEliminar
  15. Olá, antes de mais desculpa a minha ausencia, mas tenho andado muito ocupado! mas hoje tirei o dia para mim e para os amigos do blog ;)

    Bem, antes de mais deixa-me falar das fotografias, adoro a segunda, realmente enquadra-se no sentimento que falas e expoes no texto.

    Agora o texto, só a primeira frase dá vontade de ler tudo o resto, porque é uma grande verdade com a qual todos nos identificamos em certos momentos da vida, para nao dizer todos, porque nunca conseguemos esquecer nem os bons nem os maus!

    Mas o auge do texto reside aqui: "porque o amor é como a água de um copo, depois de derramada, jamais se colocará toda novamente lá dentro"

    Forte Abraço, continua com esta inspiração ;)

    ResponderEliminar
  16. As nossas cabeças possuem fotografias que o tempo não rasura...

    Abraço

    ResponderEliminar
  17. Meu querido amigo

    Amar dói e esquecer ainda mais, mas segurar um amor é ainda mais dfícil.
    Descreveste tantas almas no teu belo texto.gostei muito de te ler.

    Um beijinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  18. Achei seu blog na blogosfera.
    E adoreii!

    Já estou te seguindo..
    Me visite tbm
    http://lidiepaulo.blogspot.com.br

    Beijocas
    Ótima Semana \º/

    ResponderEliminar
  19. Me recomendaram esse blog e particularmente adorei, com certeza vou vista-lo mais vezes, estou seguindo e curtindo aqui o meu http://girlwebswolf.blogspot.com.br/ espero que goste.

    ResponderEliminar
  20. Gostamos do teu blog, passa no nosso, deixa a tua opinião e segue-nos :)
    http://loveandsexafternoons.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  21. Olá, estou a fazer um concurso de blogues, se quiseres participar e/ou divulgar este é o link:
    http://oblog-concurso.blogspot.pt/
    Obrigada!

    ResponderEliminar
  22. Não se pode resgatar um sentimento que perdeu essência, que se transformou em dor.E é nessa dor que o coração precisa lutar para que não perca a sua luz, seu valor.

    Fernanda

    ResponderEliminar
  23. Cierto, la vida está construida por momentos.
    Saludos
    David

    ResponderEliminar
  24. Prosa gostosa!

    Abração,
    Rodrigo Davel

    ResponderEliminar
  25. Apetece-me sorrir para ti,

    “recordações que me fizeram ser tão fiel aos meus sentimentos. Só a simples ideia de esquecer, já faz doer o peito…”
    Penso, sinto tal e qual assim, não me sinto preparada para esquecer, ou “matar” momentos que fazem de mim quem sou hoje, do sono que me acordaram, de onde , me tiraram, de onde parti, aonde aportei, e onde acordei.
    “Não quero apressar-me, quero apenas aproveitar o momento de mãos dadas com a intensidade”.
    Cada uma das tuas frases, dos teus sentires em palavras, é melhor do que o anterior…
    Sinto-me hoje u pouco como tu, vinda do ontem, sem vontade de o deixar no hoje, sabendo que não haverá amanhã…Hoje sou eu que não faço sentido…ou farei?
    Eu sei que me entendes, porque somos um pouco parecidos, e meio perdidos, nesse mundo que é o “amor”…sorte a minha, creio e quero-me fazer crer que não saltei do muro de cá para esse muro de lá…mas custa, recordar quem se foi, quem partiu e que de quando em vez, volta como se nada fosse, sabendo que muito foi…finge-se um pouco que nada foi, porque se sabe que nada voltará a ser, o ontem no amanhã.
    Beijo n´oteudoceolhar

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *