Barão Despromovido

13:18

O meu coração é uma pequena vila. E aquelas casas que vemos ali ao fundo, aquelas de janelas pouco coloridas, essas são as casas onde está abrigado o medo. As portas estão soltas de tanto movimento, as janelas marcam-se com atentados dos outros habitantes. Habitantes que vivem nas casas mais altas, mais robustas, mais coloridas. E o medo é obrigado a viver ali, nos escombros, perto do mercado negro. Porque todas as palavras que me foram preferidas e rasgaram a minha garganta como unhas afiadas apenas me serviram para dar mais valor a mim e a tornar-me cada vez maior e melhor. Fui obrigado, muitas vezes por falta de armas, a sentar-me num canto escuro enquanto a vida me passava em frente dos olhos. Mas esses dias foram acabando e finalmente pude chegar a casa, sem bebidas ou paragens pelo caminho. Porque por vezes é necessário pegar nas malas e saber caminhar mesmo sentindo que o nosso bolso perdeu as mãos que costumava guardar. E gradualmente as coisas começaram a encaminhar-se, assim como eu. A vila foi construída gradualmente. E onde estava o grande castelo do Barão do Medo, agora encontra-se o palácio do amor. E bastou-me deixar as suas portas abertas para que pudesse entrar o verdadeiro sentimento, a verdadeira pessoa que iria marcar o meu coração para sempre. Agora, a casa da fé e do sonho ganharam um novo andar, foi construído tão rapidamente que se um dia as portas do palácio se voltarem a abrir... não sei se conseguirão manter-se de pé.



You Might Also Like

25 comentários

  1. Belo.
    Continua a caminhar!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. é o verdadeiro sentimento que nos dá ânimo para a nossa caminhada...porque quando o encontramos, percebemos que tudo valeu a pena :)

    ResponderEliminar
  3. tão lindo, sabes que os teus textos transmitem-me sempre tanta coisas por isso é que é um gosto lê-los :)
    óh desapareci do twitter porque não tenho andado a dormir muito bem, fico sem paciência de ficar por lá |: ando stressada por causa dos exames que cada vez ficam mais perto, e pronto. sorry :c
    beijinho à esquimó muito muito fofinho ♥

    ResponderEliminar
  4. tão lindo, sabes que os teus textos transmitem-me sempre tanta coisas por isso é que é um gosto lê-los :)
    óh desapareci do twitter porque não tenho andado a dormir muito bem, fico sem paciência de ficar por lá |: ando stressada por causa dos exames que cada vez ficam mais perto, e pronto. sorry :c
    beijinho à esquimó muito muito fofinho ♥

    ResponderEliminar
  5. Como sempre um prazer ler os teus texto e deixar me contagiar. Uma grande verdade, até porque na verdade o que doi não é deixar as coisas para dar, o que realmente doi é pegar nas malas e seguir em frente, rumo ao desconhecido!Mas como é claro algo melhor sempre se avizinha :P

    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Que lindo o teu relato Paulo!
    Amei vir aqui e ler-te... caminhe sempre assim " no Bem*
    É a vida de Gente* que sabe o que quer; "que aprende a viver*...
    Beijinhos, vou te seguir.
    Mery*

    ResponderEliminar
  7. Obrigada por passares lá no cantinho.
    Já não venho ao teu há algum tempinho. :O

    "Porque por vezes é necessário pegar nas malas e saber caminhar mesmo sentindo que o nosso bolso perdeu as mãos que costumava guardar." - a frase que me ficou no ouvido.

    Dás-me autorização para a usar no Tumblr? (É claro que coloco os créditos) Está fantástica. =)

    ResponderEliminar
  8. tão verdade. miss you!

    ResponderEliminar
  9. (para nos acompanhar, vamos a um outro piano…vamos?

    http://www.youtube.com/watch?v=GZmatTjzKbA&feature=BFa&list=LLyhHYSvC0-GJ5yMRoIbAu5A

    “Fui obrigado, muitas vezes por falta de armas, a sentar-me num canto escuro enquanto a vida me passava em frente dos olhos…”, como te chamas Paulo? Curioso afinal sei o teu nome, e curioso porém, parece que ali leio Maria…
    … chegar a casa, como é tão, mas tão bom chegar a casa, à nossa…
    “Habitantes que vivem nas casas mais altas, mais robustas, mais coloridas”…Serão estas as casas habitadas, por tudo aquilo que aparentam…Pensador…Maria pouco sabe, mas Maria hoje entende que Jamais conseguiria viver de/na, fachada de uma casa “colorida”, “Robusta”…
    …e as coisas começaram-se a encaminhar lentamente, e o mundo gira, a vila poderá virar cidade, as malas são postas em cima da cama, desfeitas a roupa no seu devido lugar…e lentamente, vamos vendo a nossa casa arrumada, e nós, sentados a um canto perto de uma janela, aberta, a saborear uma bebida e a receber a brisa fresca que vem do Mar…
    Aqui sim, Maria começa a divagar, mas fecha os olhos e leva-te ao amanhã, fora das casas robustas, e coloridas de fachadas, feitas de nada…ah! Luz…afinal Maria não divagou assim tanto “E bastou-me deixar as suas portas abertas para que pudesse entrar o verdadeiro sentimento, a verdadeira pessoa que iria marcar o meu coração para sempre. Agora, a casa da fé e do sonho ganharam um novo andar, foi construído tão rapidamente que se um dia as portas do palácio se voltarem a abrir... não sei se conseguirão manter-se de pé”.
    A sua Tia já lhe disse como gosta de o ler, assim, digamos que …para lá de muito?
    Não disse?
    Pois então a sua tia diz-lhe que sim.
    Beijo n´oteudoceolhar Pensador.

    ResponderEliminar
  10. Sempre tão intenso nas palavras.

    ResponderEliminar
  11. meu deus, amei este teu texto! :$ está fabuloso. *

    ResponderEliminar
  12. Fico muito, muito, muito feliz :)

    ResponderEliminar
  13. Belo, profundo como tudo o que tem lido aqui neste blog que conheci recentemente e tenho assumido uma paixão em ler todos os novos posts. Rico em sentidos e poesia. Interpreto o medo de amar como um começo de amar.

    Parabéns mais uma vez.

    ResponderEliminar
  14. Por vezes, só precisamos mesmo ter coragem para abrir as portas...
    O medo é muito condicionante e arrasador.
    Beijito.

    P/s: Gostaria que me enviasses email para secreta@simplesnet.pt com o teu email para te enviar convite para poderes ler o meu blog...

    ResponderEliminar
  15. obrigada pela tua opinião pequeno, é bom saber que há quem goste. vou tentar postar algumas fotografias novas, em breve. ♥

    ResponderEliminar
  16. Vive a casa da fé e do sonho.

    ResponderEliminar
  17. Uma lufada de esperança!

    #Quem sabe alguém me reurbanize por dentro também.

    ResponderEliminar
  18. Oh se é. Não sou a única a pensar isso, então.

    ResponderEliminar
  19. obrigada pequenino ♥♥

    ResponderEliminar
  20. Adorei - e porquê fotos Goslar? Por favor responda-me, sou herdeiro de uma história que lá se passou à muitos anos! Contacte-me por favor - antoniobaiaopinto@gmail.com...

    ResponderEliminar
  21. Adorei - mas porquê Goslar? Essa cidade que me diz tanto quanto a herança e história que dela recebi. Por favor contacte-me, estou veramente curioso. (antoniobaiaopinto@gmail.com)

    ResponderEliminar
  22. E a minha história não é só de amor mas também da filha de um Barão - Maria Ingeborg Gertha Elizabeth von Gaafke ...

    ResponderEliminar
  23. http://sayosol.tumblr.com/#25708161577

    Aqui está =)

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *