Poeta de Branco

08:42

Sou mero poeta de linhas infinitas nunca sabendo o que escrever, quando escrever.  Apenas sou poeta que deita para fora o que os outros deixam ficar dentro. Escondo as palavras naquilo que sinto e sinto nas palavras escritas aquilo que escondo. Demonstro os meus acto pela minha vontade de querer actuar e actuo só pelo facto de querer demonstrar os actos. Sou poeta de luvas brancas e sem sujar as mãos crio mundos, construo castelos e faço cair o céu. Sou poeta de sabores mistos, responsável pelo sabor que me constitui e não pelo lado que me provam. Utilizo palavras como se fossem montanhas, prontas a serem escaladas, descobertas pelos prontos a descobrir. Eu, poeta de esconderijos perfeitos no pensamento, penetro na verdade, conquisto o querer. Sou relógio de horas erradas, cansado do acerto. Quero a diferença, não o silêncio e o cumprimento das regras a que todos se baseiam. Prefiro a identidade não para sobressair mas para conseguir sair sobre. Sou lobo mal domado que os outros homens têm tentado amordaçar. Uivo aos meus sonhos e espero pela minha felicidade. Nunca sentado, sempre de pé. Como névoa sobre a montanha, calmo, paciente, atento.
Eu, poeta de luvas brancas olho o mundo, esperando que um dia o mundo me olhe de volta.








You Might Also Like

51 comentários

  1. "Escondo as palavras naquilo que sinto e sinto nas palavras escritas aquilo que escondo." para quem diz que nunca sai nada de jeito porque não sabe o que dizer.. está lindo. e esta palavra começa a perder sentido nos teus textos..
    amo-te lindo <3

    ResponderEliminar
  2. Esconder ou mostrar é uma arte que sabe a "savoir faire".
    A poesia nasce nesses momentos e escrever o momento será o poema certo

    ResponderEliminar
  3. Meu amigo

    Já é olhado e, com muito respeito por esse imenso talento, que borda com palavras panos de pura seda, fios que se vão enleando e desenleando na procura da sua própria identidade. E nós, leitores, acompanhamo-lo neste seu percurso, na procura da diferença, aliás, já é diferente, com a sua prosa poética única, servindo-se dela para se questionar, questionando-nos.

    Obrigada por estes momentos de excelente leitura.

    Abraço

    Olinda

    ResponderEliminar
  4. Olá Paulo!

    Hoje defino o teu texto com uma palavra "Maravilhoso"

    Um grande beijinho
    Adorei

    ResponderEliminar
  5. Arrisco-me a dizer que és o poeta que melhor escreve. Tão, mas tão bonito.

    ResponderEliminar
  6. está lindo :o
    um pouco escondido entre as palavras que escreves, penso que depende da disposição do leitor, cada um interpretara este texto de diferente formas!
    Eu amei, transmite-me segurança, liberdade e coragem :)
    beijinho enorme meu lindo :*

    ResponderEliminar
  7. Tens o dom de tornar as palavras mais do que elas podem significar..e isso é poesia :)

    ResponderEliminar
  8. Até que enfim…Sim, sem sombra de dúvida o Pensador, é um Poeta…sim considero que o sejas, tão ou melhor que muitos que se dizem poetas…ou que se fazem.
    “Sou poeta de luvas brancas e sem sujar as mãos crio mundos, construo castelos e faço cair o céu”.
    “Sou relógio de horas erradas, cansado do acerto”.
    “Nunca sentado, sempre de pé”. (qual Dom Quixote).
    Eu quando um dia fizer parte do mundo (como costumo dizer dos outros), prometo que te olho, agora, prefiro apenas olhar-te como parte de um mundo á parte, que os outros não entendem…Ser Poeta é sem dúvida ser mais alto….
    Que o céu sem limite, nunca mas nunca limite o teu pensamento a seres menos, do que um Poeta.
    É um prazer ter as tuas palavras a colorir os meus “rabiscos”, um dia quando for grande também eu quero ser “poeta”…
    Ao sobrinho inspirado, e sempre inspirador.
    Um beijo n´oteudoceolhar desta sua tia.

    ResponderEliminar
  9. E por ser poeta és unico em emoção...Bjos achocolatados

    ResponderEliminar
  10. "Sou relógio de horas erradas, cansado do acerto."

    Adorei, embora como que "destoe" do tom afirmativo da acção e do ser do resto do texto... ou talvez por isso. Só não sei se se é poeta de luvas brancas. Sê-lo-ás, talvez, mas como és "responsável pelo sabor que me constitui e não pelo lado que me provam", penso que serás mais poeta de mangas arregaçadas que não se fica no lirismo das palavras...

    Um belo texto, Paulo, urdido de vontade e de mudança :)

    aquele abraço

    ResponderEliminar
  11. mal posso esperar, nunca mais acabam as aulas :c
    muito obrigada, e volta sempre :)

    ResponderEliminar
  12. Bom dia! Uma vez que já seguias o meu blogue antigo – O (secreto) Ritual, gostaria de te informar que agora vivo noutra morada e caso estivesses interessada, adoraria continuar com a tua companhia :)
    A minha nova morada é: http://www.letsmaketeanotwar.blogspot.pt/
    Continuação de um dia cheio de luz e alegria!

    ResponderEliminar
  13. Muito obrigada!
    "Sou poeta de sabores mistos, responsável pelo sabor que me constitui e não pelo lado que me provam." simplesmente genial. <3

    ResponderEliminar
  14. Estou mais que preparada! (Não é ser querida, é ser muito realista).
    E, oh, é verdade. Também pensei no amor, mas o primeiro nome que me veio à cabeça foi a melancolia.

    ResponderEliminar
  15. ...venho devolver o beijo na bochecha:)....ca fofo (ok desci do pedestal de cota e pronto dei uma de miúda...cof! cof!)
    Quando o Poeta tiver tempo tem lá a resposta...a vida é tanta tanta coisa...bale?
    Beijo de bom domingo sobrinho n´oteudoceolhar*

    ResponderEliminar
  16. Fiquei estupefacta. O texto está lindo e tu poeta, que vives e que sentes, não deixes que nada seja em vão.
    Acredita que com estas palavras de poeta comoveste o coração de todos os que aqui passaram.
    Gostei mesmo muito, beijinho.

    ResponderEliminar
  17. pensando bem, já faltou mais *--*

    ResponderEliminar
  18. estou sem palavras!
    adoro o texto
    sigo (:

    ResponderEliminar
  19. Agradeço-te do fundo do coração <3

    ResponderEliminar
  20. Nem sei se alguma vez tive algo meu s:

    ResponderEliminar
  21. uma escrita cada vez melhor*

    ResponderEliminar
  22. não tens que agradecer, tenho um enorme carinho por ti e todas as coisas que digo são sinceras :)
    beijinho enorme meu príncipe *.*

    ResponderEliminar
  23. adorei, escreves lindamente!

    ResponderEliminar
  24. Claro que não, olha amei este teu texto o: Parabéns :33

    ResponderEliminar
  25. Olá! Vim te convidar a conhecer meu blog.
    Beijocas!
    http://www.sinaisdemimtl.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  26. Esse poeta de branco fez uma definição de um verdadeiro poeta.Você é fantástico. Acredito que os melhores poeta são lobos mal domado.

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  27. porque tu és ainda mais pra mim :o não deste mas vais dar :3

    ResponderEliminar
  28. AHAHA , eu também não :c e não me sinto nada infeliz por isso, e também não tenho vergonha nenhuma de dizer que também gosto de rapazes O.O e não é por não saber jogar à bola x) ahah

    ResponderEliminar
  29. Ahahah mesmo .. mas tu o que andas a fazer na net x) ? não devias estar nas aulas xp ou assim ?

    ResponderEliminar
  30. Alemanha *-* lembro-me sempre de nazis quando alguém fala do raio do país, eiii boa vida x) vou agora às 10 ahah x) :3

    ResponderEliminar
  31. pois eu sei x) mas Alemanha vai sempre ficar marcada com isso xp ahah só tive uma aula eu sou tão fixe *-*

    ResponderEliminar
  32. ...Sou poeta por que a vida só não me basta...

    Belíssimo texto

    ResponderEliminar
  33. Olá Amigo, faz tempo que não passava aqui por tua casa, hoje como finalmente tive mais tempo e disponibilidade para andar a ver a casa dos meus amigos ao pormenor, vim cá fazer uma visita. Mais uma vez fiquei maravilhado com o texto, impressionaste como o que é complicado fica simples e belo nos teus textos, um primor. Gostei muito desta parte "deita para fora o que os outros deixam ficar" muito profundo, e sem duvida de Poeta, os meus Parabéns. Só te posso desejar o melhor, nunca desistias, devias investir num Livro!

    Forte Abraço =)

    ResponderEliminar
  34. óóóh siiim *.*
    vou adorar provar ;)

    ResponderEliminar
  35. Passando pra desejar-te uma linda semana. Bjos achocolatados

    ResponderEliminar
  36. Tânia Sofiamaio 21, 2012

    Poeta, sem duvida, é o teu nome do meio.
    Tudo o que escreves é sentido pelas pessoas que lêem os textos.
    Amei o texto.
    hehe :P
    <3

    ResponderEliminar
  37. Olá!

    Desta vez o meu contacto não se destina a um simples comentário de blog...contacto-te para te informar que por uns tempos nada postarei.Quero agradecer o carinho e as visitas mais uma vez,nestas andanças dos blogs acaba por haver pessoas,que sem as conhecer-mos nos afeiçoamos ás mesmas por motivos simples,é o caso.Como muitas vezes já frisei,sou uma mulher que valoriza as relações.Não sou mais nem sou menos do que ninguém,sou assim,muito ligada a quem amo,em especial aos meus filhos.No Domingo partiu alguém,que durante 12 anos partilhou connosco uma amizade pura e autêntica,chamava-se Zita e era uma cadela linda,intiligente e ternurenta...tudo fiz para a salvar... mas nada resultou...a nossa dor é imensa.Só quem tem animais,ou quem gosta muito deles me compreenderá... para muitos era apenas uma cadela...

    Não estranhes a minha ausência... um dia voltarei...de momento não tenho "cabeça" porque têm sido dias muito difíceis.

    Até Sempre
    Qualquer coisa que possa ajudar estarei disponível...

    ResponderEliminar
  38. Oh muito obrigada , é bem verdade o que disses-te só resta mesmo as saudades e lembranças

    ResponderEliminar
  39. que queridinho que tu és awn :3

    ResponderEliminar
  40. E o que é o poeta senão isso, né? Um tradutor, um observador das coisas simples. Aquele que transforma o sentimento alheio em palavras, a verdade alheia em poréns. O que seria do mundo sem os poetas, maquiagem da vida?

    Um beijo, Paulinho!

    ResponderEliminar
  41. Que querido * É só desilusões :x

    ResponderEliminar
  42. Lindo Paulo,como é bom te ler,me encontrei nesse texto!
    um ótimo final de semana pra vc,abraço,=)

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *