Negridão

11:36

É no escuro em que me costumo encontrar, cada pedaço do meu corpo, cada pedaço dos objectos envolventes e cada fatia da minha alma. É no escuro em que me liberto, porque olhos fechados não vêem pecados. E talvez me considere diferente por pensar em demais na morte e seja essa a razão porque os meus passos têm sido tão lentos. Para ter a segurança dos solos que vou pisando. Lidar com a morte é ouvi-la em cada sopro do vento nas folhas da árvore em que estou sentado e é senti-la no rio que corre pelos meus pés mergulhados. Tudo tem um pouco dela e tudo ela faz mudar. São mudanças repentinas que trazem o escuro e a obscuridade, a lentidão e o abandono. O desespero. Não tenho procurado senti-la mas sei que ela está lá, assim como não precisamos colocar um dedo no fogo para saber que queima. Não a provoco. Deixo-a deambular pelas voltas do mundo e conquistar os pedaços do seu castelo. Não teria outra opção se não deixa-la. Mas estou a deixa-la a ela e não às folhas que vão secando e se tornando em grãos de pó. Pois afinal, a morte é só um pôr-do-sol que sabemos que não irá voltar a nascer para nós.



You Might Also Like

25 comentários

  1. Um texto diferente de todos os outros mas repleto de um significado enorme. Palavras conjugadas para falar daquilo que muitos de nós nem falamos mas que é a maior certeza que podemos ter. Muito bom Paulo. Abraço

    ResponderEliminar
  2. mas é que é mesmo, lá nisso tens razão. e eu... enfim, a solidão a mim ama-me porque, pelo que vejo, ela não me larga mas porquê ? :c

    ResponderEliminar
  3. Eu acho que momentos de solidão (no escuro) nos proporcionam reflexões incriveis.

    ResponderEliminar
  4. e o que fazer quando não se tem amigos ? e a pessoa que temos nos magoou, muito ? :c

    ResponderEliminar
  5. Lindíssimo...
    Gostei da segunda foto, brutais cores :) *

    ResponderEliminar
  6. what else? está lindo como sempre* :)

    ResponderEliminar
  7. Mas o caminho é em frente, não é? :)

    ResponderEliminar
  8. E é mesmo : embora não saibamos quando irá acontecer, estamos, a cada segundo, caminhando em direção ao fim.

    A morte iminente está presente em tudo o que tem vida.

    Um beijo, querido Paulo.

    ResponderEliminar
  9. É, o escuro, a solidão são as minhas melhores tristezas, minhas melhores decepções, e afogamentos em que perco o fôlego pra começar novamente.
    Saudades meu anjo, muita muita! Beijos.

    ResponderEliminar
  10. I love moments of solitude. Such wonderful writing my friend. Nice photos too.

    ResponderEliminar
  11. Meu doce, adoro a tua maneira de veres as coisas que nunca falamos, neste post :) (Sou uma das pessoas que não consegue abordar esse tema, nem tão pouco referir a palavra que usaste ao longo do teu post!) *

    O Duarte não te pareceu bom moço?! :o ahahah Beijinhos honey

    ResponderEliminar
  12. (Ai o Piano…)” cada pedaço dos objectos envolventes e cada fatia da minha alma” (Sublime!).
    “Não a provoco”…Não tens, não terás, nem tão pouco saberás as vezes que já a provoquei…Pensador, ela ronda, ela vai deambulando á nossa volta. Fácil de ignorar, nunca o será, especialmente quando nos ataca aquele ínfimo sentir, imensamente grande que se chama solidão. Ela ronda, “maleficamente” sorrindo e fazendo-nos crer que o dia chegou. Um dia chegará seja sob que forma for, um dia teremos de a encarar de frente (por nós ou pelo nossos). Mas deixa-a andar. Não lhe mostres um só “dente”, não lhe dês esse prazer, deixa-a, ela irá cansar-se (temporariamente), e irá tal hiena traiçoeira procurar outra vítima. Posso ter interpretado mal o texto, mas ouve o que te diz a Maria. Deixa-a. Ela irá e quando tiver de vir, que venha…de punhos fechados, cerrados estarás “valentemente” á espera…para a derrubares.
    Ficou um recado para ti no post dos 6 anos do blog … é assim que vejo e sinto. Serás sempre muito bem vindo Pensador, porque existes és uma alma cheia de “luz” na “ponta” desses dedos, que fazem magia conduzida pelo coração, pela alma…sim?
    Beijo n´oteudoceolhar.

    ResponderEliminar
  13. às vezes gostava de conseguir encarar a morte assim desse jeito! lindo, como sempre :)
    beijo *

    ResponderEliminar
  14. Tenho que ser sincera... este texto fez-me chorar! Perdi o meu pai à 3 meses, e sei perfeitamente o que é lidar com a morte. E posso confessar que não é facil.
    Um beijinho, e adorei o blog !

    ResponderEliminar
  15. sabes de quem gosto mesmo muito ? do meu namorado.

    ResponderEliminar
  16. Eu adorava ter o mar ao meu lado (:

    ResponderEliminar
  17. A morte tem de ser pensada, naturalmente. Não te esqueças de pensar também na vida =)

    Adorei: "É no escuro em que me liberto, porque olhos fechados não vêem pecados." Fantástico!

    ***

    ResponderEliminar
  18. Credo! Por momentos, senti-me apreensivo como se a morte estivesse a rodear-me para ver como me atacar.
    Enfim... A precisar de dormir.

    ResponderEliminar
  19. É sinal que o que escreves se sente na pele.
    E com uma dose de sono, resulta em disparates.

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *