Bordo de Mim 6/10

07:51

Ainda era cedo mas as malas estavam feitas. Pesadas como a consciência suja de um assassino. As passagens estavam compradas e eram esperadas horas intensas no calor do banco do veículo. Foram feitas três parte de viajem. Na primeira parte dividi o local acalorado com 15 minutos de atraso e um pequeno copo de leite no estômago. Fora ainda mais atrasada a ligação do segundo transporte em que nada fora comido mas as vistas foram alegradas, pessoas interessantes que me interessam devido à sua atenção nos livros de páginas completas. Óculos escuros e roupa discreta. Acostumei-me com um estranho do meu lado que tossia de quando em vez. Eu olhava pela ponta do nariz para a mochila que transportava no colo. Aquele desconhecido saiu na paragem mais próxima da vila pacata e dirigi-me para a janela, a estrada passava e o sentimento fora-se escondendo pelo alcatrão. A distância já fazia a saudade aumentar no escuro dos meus olhos. Estava algo a ficar para trás e nem me tinha despedido, mas iria voltar brevemente. Era uma viajem com retorno, em parte. Iniciei a terceira parte da viagem com um calor no coração. Estava cansado e nada comera, ainda quando me enfiei nas compras para alegrar a mente e despedaçar as poupanças. Assim foi até estar na hora de viajar para a terra pacata onde iria passar uns belos tempos. A noite instalou-se depressa e nem por isso me assaltou o frio. O violino da pequena de cabelos compridos começou a soar. Ao escutar o seu desenho na musica sentei-me nas escadas, mirei o vento que amaciava a árvore do quintal e fotografei-me naquela paz que suspirava cada vez que cá vinha e admirava a triangularidade das montanhas.


You Might Also Like

17 comentários

  1. por vezes precisamos de viajar e reencontrar a paz que sentíamos para depois voltarmos de novo à realidade..

    ResponderEliminar
  2. É belo... como um "até logo" sutil! Vá e aproveite; volte quando achar necessário (ou precisar); sinta-se protegido onde estiver por meu abraço e viva como for possível!

    ResponderEliminar
  3. ADOREI!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



    Olá...Sou escritora e estou sorteando o livro da amiga Adriana Vargas no meu blog:
    Venha participar com a gente!
    “...Não sabe ao menos se me quer como sou, ou se me afasta por ter medo de não ser feliz por toda a sua vida...”
    O Voo da Estirpe é um livro que mexe com o leitor, impossível sair igual após a leitura! A escritora foi completamente feliz na escolha do enredo e principalmente a maneira magnífica de organizar as ideias!
    Forte- ousado-verdadeiro!
    É um livro que vai até as entranhas do ser humano e te desnuda, e desafia!
    Clarice é uma mulher que vive sozinha, não quer apaixonar-se, mas também não quer ficar sozinha. É uma mulher que reflete e sente. Que pensa e questiona!
    Klaus é um homem romântico que desafia os conceitos amorosos de Clarice. Ele a vai guiando até o amor sublime. Tem uma visão privilegiada do mundo e a divide com Clarice - a mulher que ele ama.
    O leitor vai sentir uma imensa paz, vai rir, vai chorar, vai torcer pelos dois! A cada novo capítulo o leitor vai se envolvendo na história e se pudesse, entraria nas páginas e os apoiaria!
    Quantas vezes deixamos de amar alguém por que temos a convicção de que não durará muito? Pode ser por uma diferença de idade, uma doença, diferença geográfica ou religiosa! Deixamos de tentar pelo simples fato de pensar que não dará certo!
    A autora aborda a questão de viver o momento! Ser tão feliz, tanto quanto é possível, no momento.
    Lembrei - me da borboleta, que tem a vida tão curta, mas vive o seu momento de borboleta e é feliz!
    Tenho 2 blogs...mas aquele que estou acessando no momento é do meu livro:.
    Bjs -
    http://amazoniaumcaminhoparaosonho.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. uma combinação linda e perfeita.

    ResponderEliminar
  5. com os teus textos faço um livro, que te parece ? (a) +.+

    ResponderEliminar
  6. Essa coisa, que eu não sei o nome. Que me contagia cada vez que eu venho aqui. Um escrever talentoso.
    Ler-te foi uma viagem prazerosa, em três partes: Momento, compreensão e paz.

    Adoro está aqui. Forte abraços ! (:

    ResponderEliminar
  7. E vou sorrir sempre que leio um comentário teu:)
    Obrigada por estares sempre ai para mim.

    ResponderEliminar
  8. Estou farta de vir aqui e ser repetitiva nos comentários. Hoje digo somente: Idem aspas, aspas. ♥♥
    Quanto ao teu comentário: Já devias saber que a Benny não é fácil e um pedido de casamento não pode ser feito assim... A rapariga precisa de se acostumar ao engravatado!
    Se ela sonha que tu a queres ver casada, nem te digo nem te conto... :o Ahahah
    Beijinhos meu doce! ♥

    ResponderEliminar
  9. E para mim, o importante é que continues a escrever. Acredita que eu não sei explicar por palavras de como adoro todos os teus textos.. Têm qualquer coisa que me toca mesmo no coração.. Nunca desistes disso, tu tens um dom mesmo! Quem sabe, se daqui a uns anos, em vez de estudarmos Os Maias, O Memorial do Convento, e entre outras obras, os alunos das escolas não irão estudar os teus textos e, as tuas próprias obras! Ganhariam muito mais com isso, e alegrariam a alma! Muito obrigada pelo teu comentário. Tens razão, até eu fico assim quando se toca no assunto de 'dor'. É uma coisa horrível.. Mas obrigada, e pela força! És lindo, és o Melhor Escritor, com letras gigantes!! ♥

    ResponderEliminar
  10. sem duvida paulo, concordo com as tuas palavras

    ResponderEliminar
  11. Is that you with the camera? Excellent photo!

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *