Aparas de Lápis

08:55

E ficou um pouco mais frio que o habitual mesmo enrolando os pés no final dos lençóis e do edredão. Fui perdendo todos aqueles lápis de cor que coleccionei na estante perto da cama, mas na verdade, ou fugiram ou foram roubados. Mas gosto de pensar que fui eu que os perdi e que estou impossibilitado de colorir as páginas da minha vida apenas por minha culpa. Ou pelo meu esquecimento para com eles. O que realmente importa é que a porta se fechou, automaticamente e o candeeiro parou de emitir a luz que me fazia arder os olhos e passou a demonstrar uma luz com fortes probabilidades de criar desentendimento no pequeno quarto. Deixaram de existir sombras e luzes, cores e hipóteses. Fiquei remetido às paredes que não sabia de que cores eram. Senti-me perdido no meu próprio espaço que cheguei a conduzir de mão fechada. Nunca mais encontrei os lápis, só alguns dos seus bicos perdidos pelo chão poeirento ou alguns aparas de lápis. Não entendo onde foram essas promessas parar. Promessas sem valor calculável que hoje se demonstram como pequenos átomos à dor da confusão que nasce e renasce no meu interior. Foram promessas daqueles que costumavam me segurar as mãos, promessas de outros que suspiravam enquanto me olhavam nos olhos, promessas que foram quebradas com o tique-taque nervoso do relógio. O meu suspiro, ao lembrar, é tranquilo mas gelado. Agora ando com cuidado pelo meu próprio quarto com medo de pisar algum vestígio de lembranças que possam magoar este coração que ainda sofre por todos aqueles amigos que fizeram promessas em vão.



You Might Also Like

44 comentários

  1. é uma série fantástica, comecei a ver de novo e vou para a quarta temporada (:

    ResponderEliminar
  2. Há lápis de cor que provavelmente não vamos encontrar de novo e se encontrarmos, a cor não será a mesma..mas temos de saber pintar as nossas páginas de outras cores e tentar que elas nos deêm vida

    ResponderEliminar
  3. Há lápis de cor que provavelmente não vamos encontrar de novo e se encontrarmos, a cor não será a mesma..mas temos de saber pintar as nossas páginas de outras cores e tentar que elas nos deêm vida

    ResponderEliminar
  4. Cor é vitalidade: inclusive o preto e branco.

    Adorei o escrito; abração,

    Rodrigo Davel

    ResponderEliminar
  5. Texto muito bom daqueles que apenas se lê por entre as linhas e não pelas palavras aqui deixadas de uma maneira tão verdadeira. Gostei muito Abraço :)

    ResponderEliminar
  6. está lindo ! e que grande verdade*

    ResponderEliminar
  7. Um dos melhores textos quem tens aqui, sem duvida :') LINDO!

    ResponderEliminar
  8. Pensador ...
    Leio as tuas palavras com um nó na garganta, esses lapis de cor, creio que também os perdi algures no tempo ou no espaço.
    Onde? como? e porquê?
    Porquê digo eu ....?

    Beijo n´oteudoceolhar*

    ResponderEliminar
  9. Nossa, Paulo...Tão significativo escolher pensar que perdeu-se os lápis em vez de ter sido abandonado por eles. Isso demonstra atitude em relação à vida, responsabilidade sobre a própria história, vontade de não ficar como vítima das circunstâncias.

    Acho tão importante que sejamos assim, senhores dos nossos destinos!

    Adorei, adorei!

    Um beijo, moço querido.

    ResponderEliminar
  10. tem q pisar com cuidado mesmo, por onde passa... pq tem gente q nao tem esse mesmo cuidado.

    ResponderEliminar
  11. As cores voltarão a ser usadas. Não duvides.

    ResponderEliminar
  12. Simplesmente Fantastico seu mundo..vou ficar por aqui *.*
    Visite o meu e fique a vontade!! http://amantesdodireito.blogspot.com

    bjuxx

    ResponderEliminar
  13. gosto bastante da série, já não via à algum tempo e agora é sempre seguido.
    gosto muito da segunda foto deste post (:

    ResponderEliminar
  14. És lindo! Tens um talento enorme, juro que não me canso, nunca me cansei, de dizer isso! Tens um coração gigante, mais belo. E um dia, espero mesmo e acredito nisso, serás ainda maior do que já o és! Luta por isso, pois terás todo o meu apoio e toda a minha força! Acreditarei sempre em ti!! <33

    ResponderEliminar
  15. Não paulo disse que este texto mostra muito por entre as linhas, por entre o escorrer dos sentimentos que aqui mostraste. Há textos assim, que estão com metáforas que falam de vida, que falam de sentimentos e este é um deles por isso dizer que acho ele mesmo muito bom. Abraço :)

    ResponderEliminar
  16. Como gostei, texto fantástico não duvides, escreves mesmo bem. As cores um dia serão pintadas novamente, texto cheio de sentimentos. Adorei. Beijinhos

    ResponderEliminar
  17. "Mas gosto de pensar que fui eu que os perdi e que estou impossibilitado de colorir as páginas da minha vida apenas por minha culpa" -

    Gosto de pensar assim também

    ResponderEliminar
  18. marcante e desajeitadamente perturbador! Obrigado querido amigo... tb devo continuar fazendo as equações e procurando os lápis, mas, por ora, não quero!

    ResponderEliminar
  19. Mais uma vez adorei tudo o que escreves-te (:

    ResponderEliminar
  20. ao tempo que já não visitava este blogue

    ResponderEliminar
  21. não, não levo a mal (:
    eu bem olho para a frase e soa sempre mal, mas não sei como mudar :|

    ResponderEliminar
  22. já mudei e acho que resultou, mas obrigado pelas tuas sugestões, foste um querido (: *

    ResponderEliminar
  23. Gostei. Aproveito para deixar o endereço do meu blog:
    http://viagemsemretorno.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  24. também não andava muito aqui , mas agora voltei já estou novamente com mais tempo.
    - mas já tinha saudades *

    ResponderEliminar
  25. Claro que não Paulo está tudo muito bem :)) Abraço

    ResponderEliminar
  26. sim , prometo te vir visitar mais vezes !

    ResponderEliminar
  27. Lápis de cor.Colorem o papel de vez em quando nossa vida!
    Lindo texto como sempre...
    Beeijos!

    ResponderEliminar
  28. mágico, relamente me encantó, un abrazo.

    ResponderEliminar
  29. obrigada pelas palavras paulo, acredita que significaram muito..

    ResponderEliminar
  30. Que saudades deste blog! Mais um texto maravilhoso, não perdes o jeito! ;)

    ResponderEliminar
  31. Acho que os "lápis" da nossa vida estão sempre connosco. É uma questão de tempo em encontrá-los de novo..
    As promessas..oh sim, promessas!..Uma pessoa aprende com os erros, não é? Promessas são sempre de se ficar com um pé atrás..mesmo que sejam da pessoa que mais amamos. Promessas de amor eterno, ou de amizades que hão-de ficar..tu sabes o quão difícil é que essas promessas não acabem por também ela ser apenas aparas de lápis perdidas algures na memória..

    Beijinho (desculpa o "negativismo", mas são dias). grande beijo **

    ResponderEliminar
  32. Vamos sonhar? Sonhar que somos felizes para sempre? Sonhar que nada nos pode magoar? Sonhar que vamos realizar todo o que sempre sonhamos...

    ResponderEliminar
  33. E quando as promessas são quebradas e a vida perde a cor, o tom, ainda há uma chance de retomar o que perdemos, tudo que é verdadeiro volta.

    um beeijo, querido!

    Passei um tempo sem vir aqui, mas não te esqueci, escreves tão lindamente.

    ResponderEliminar
  34. A maneira que constrói em metáforas versões da vida, sempre me proporciona um desafio, uma reflexão. Desvendo em cada trecho que escreve um novo pensar e nessa reflexão me aproximo mais de coisas que esqueci ou não vejo mais. Pode até ser que pontas quebradas não se reintegrem com o tempo, mas sirvam como uma necessidade de começar de novo.
    Apesar de que, melhor que uma nova amizade, é conservar os velhos.

    Eu gosto dessa maneira que me faz abrir os olhos. Muito obrigada pelo carinho.
    Um beijo :*

    ResponderEliminar
  35. Esses comentários eram para a C. somos 2 no blog!

    ResponderEliminar
  36. então na minha área e naquela escola ainda mais -.-

    ResponderEliminar
  37. "Foram promessas daqueles que costumavam me segurar as mãos, promessas de outros que suspiravam enquanto me olhavam nos olhos, promessas que foram quebradas com o tique-taque nervoso do relógio." adoro!

    ResponderEliminar
  38. Cada vez que te leio, ás vezes quietinha sem comentar, suspiro.

    Um beijo amigo

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *