Pedra

12:47

Não sou mais forte que as pedras que partem as vidraças sonhadoras das maiores cabeças. Sou pedaço de carne que deambula pelas vilas a cantar a noite dos abraços mal fornecidos por gente mal pagante. Sou aquele que procura e não se cansa de encontrar o desconhecido que não agarra. Na minha mente é criada uma festa imaginária com convidados que desperdiçam o tempo que lhes deposito e no meu coração fecham-se as portas para que o amor não me fuja. 
Novamente uma vidraça é estalada e pergunto-me o que teria acontecido se não ali estivesse, se fosse eu a ter sido partido desta vez, se fosse eu a ver o meu sangrento desejo a escorrer para o putrefacto esgoto desidratado. Mas não fui. Eu continuava ali a penetrar com os dedos nas folhas da saudade e a imaginar a festa no interior da minha mente com os convidados que não convidei. Restou esperar que a festa da vida chegasse ao fim, bastou morder a doce suavidade do sonho que sonhei e uma pedra estalou o meu coração. Enfiou-se tão intensamente nas calmas noites e a incomodou os meus dedos dos pés. Choquei com a minha própria imagem deslumbrada pela dor. Então, parei de cantar e lentamente as noites voltaram a ser revoltosas e o calor do coração voltou a interferir com as minhas opções que necessitavam de senso e seriedade. E a minha mente foi desistindo da vida que levava para se encontrar, desenfreadamente, com um amor que não podia amar.


You Might Also Like

62 comentários

  1. TU METES NOJO! (just kidding) =P Fogo, devias ter vergonha em escrever textos destes. Se morasses mais perto, apertava-te o pescoço [olha só a tua sorte ahah].
    Ainda dizes tu que não escreves nada de extraordinário. Bem, assim sendo o vulgar é o extraordinário, Paulinho ;) Adoro a forma como consegues fazer aquilo que para tantos é impossível: dar sentimento às palavras...

    Magnifico xD

    Um beijinho*

    ResponderEliminar
  2. "E a minha mente foi desistindo da vida que levava para se encontrar, desenfreadamente, com um amor que não podia amar" identifico-me com isto que escreveste, até demasiado...
    e o amor faz-nos perder as forças e como recuperá-las é uma boa questão..

    ResponderEliminar
  3. Ainda diz ele que nao escreve nada de jeito -.-'

    ResponderEliminar
  4. Agora para além de escreveres textos que até derretem um coração de vidro como o meu, também dás conselhos espectaculares? Wow... pergunto-me que mais talentos terás tu. Olha que quando fores famoso aqui eu (a rapariga estranha com atitudes estranhas) vai querer um autógrafo teu ^^ Vou querer mesmo! =)
    Obrigada pelas palavras e por tudo o resto. ^^

    ResponderEliminar
  5. Oh nem sabes o quanto preciso de me rir. Eu vou mas é dar um pulinho aí a Sines ou a Porto Côvo e vamos rir-nos os dois um bocado =P (enfim, o que era a vida sem estes momentos parvos?).

    ResponderEliminar
  6. E depois eu é que sou a convencida =O Eu que sou uma santa (só de apelido) =P
    Ahah olha que eu vou pah ^^ (havia de ser bonito) =P
    Havemos de ter umas boas conversas oh excelentíssimo senhor-que-diz-que-não-sabe-escrever-nada-de-jeito. ^^

    ResponderEliminar
  7. mais uma vez agradeço-te imenso $:

    ResponderEliminar
  8. Bacana demais, viu!

    Adorei; amor em fuga...
    Abração.

    ResponderEliminar
  9. tu escreves com a maior sabedoria.
    continua assim :)

    ResponderEliminar
  10. Mas neste caso pensava da mesma forma que tu em relação ao titulo e errei, todos erram e eu admito os meus, não te preocupes querido (;

    Beijinho *

    ResponderEliminar
  11. o texto está lindo, mesmo mesmo lindo, Paulinho *.*

    ResponderEliminar
  12. Sinceramente. Ainda dizes que não andas com inspiração. Quando tiveres, derreterás até o coração mais protegido. Com muros e arames farpados e cercas elétricas e aqueles cães pretos e raivosos (Dobberman!?)

    ResponderEliminar
  13. baby!! voltei de mon voyage para te inundar o blog e dizer o quanto amo tudo o que escreves :$ e também para destacar especialmente essa frase que eu considero tão especial!

    "E a minha mente foi desistindo da vida que levava para se encontrar, desenfreadamente, com um amor que não podia amar."

    gosto muito de ti paulinho :') <3

    ResponderEliminar
  14. concordo! e olha, mais uma vez, adorei:)

    ResponderEliminar
  15. consigo ser bastante teimosa :b

    ResponderEliminar
  16. Também a mente perde o control... e cede ao amor.
    Beijito.

    ResponderEliminar
  17. Eu, pessoalmente, não gosto de Dobbermans. Dão-me arrepios.

    ResponderEliminar
  18. Eu tento muito isso também, fechar as portas para que o amor não fuja...não vá parar em outra estação...abraços de bom final de semana.

    ResponderEliminar
  19. claro , é isso que estou a tentar fazer :)
    obrigado .

    ResponderEliminar
  20. nem deves agradecer :c as verdades são para se dizer *.*
    é verdade sim :)

    ResponderEliminar
  21. "Sou aquele que procura e não se cansa de encontrar o desconhecido que não agarra", só isto diz tudo. Muito bom mesmo. Abraço :)

    ResponderEliminar
  22. Perfeitas palavras que tocam o nosso espírito, amei seu espaço, muito perfeito, organizado e criativo, sem contar suas palavras de profundo sentimento, faço minhas as suas, tiro o chapéu! Parabéns! Seja sempre muito bem-vindo em minha modesta Aquarela da Vida! Abraços poéticos.

    ResponderEliminar
  23. Quando eu escrever tão bem como tu... ui! És o próximo Nobel da Literatura! :)

    ResponderEliminar
  24. Esta tão lindo meu amor *.*
    Love youuu Irmão lindo <3

    ResponderEliminar
  25. I really do enjoy your writings and the photos you post with them. Have a wonderful day.

    ResponderEliminar
  26. Escreves muito muito bem !
    Adorei o blog, sigo! :)

    ResponderEliminar
  27. Um belo sábado pra ti meu amigo...abraços.

    ResponderEliminar
  28. quando for grande quero escrever como tu *.*

    ResponderEliminar
  29. Nossa muito bommm amei...Hei gosto muito de estar aqui vc é muito especial bj um dia iluminadoo!!!

    ResponderEliminar
  30. Adorei (mais uma vez) , tens um jeito unico para escrever x)

    ResponderEliminar
  31. São palavras sinceras as minhas, eu quem agradeço a sua retribuição e seja sempre muito bem-vindo! Escrevo com palavras simples, tudo simples, mas feito de coração, isso é o que importa. Beijos e Domingo tem postagem nova, se puder aparecer, fico lhe muito grata.

    ResponderEliminar
  32. Muito obrigada pelo carinho Paulo, minhas páginas de aquarela da vida estarão sempre abertas, vc já tem entrada livre ;0), beijos e muito obrigada!

    ResponderEliminar
  33. Muito bonito este post*
    "Não sou mais forte que as pedras que partem as vidraças sonhadoras das maiores cabeças. Sou pedaço de carne que deambula pelas vilas a cantar a noite dos abraços mal fornecidos por gente mal pagante." , adorei especialmente esta parte :)

    ResponderEliminar
  34. Está lindo Paulo *
    " E a minha mente foi desistindo da vida que levava para se encontrar, desenfreadamente, com um amor que não podia amar. "

    ResponderEliminar
  35. Daqui a uns anos talvez faça uma operação. :)

    ResponderEliminar
  36. Lindo o texto amigo. O amor é tudo de bom! Deixe as porta aberta que o amor faz moradia. Ótimo fim de semana. Bjs no coração!

    ResponderEliminar
  37. Não é nada de mais, um amigo meu fez e correu muito bem. Não é uma operação de risco. :)

    ResponderEliminar
  38. Adorei!
    Muito bom,mesmo Paulo!
    Tens um talento prodigioso para a escrita!

    ResponderEliminar
  39. "Choquei com a minha própria imagem deslumbrada pela dor. Então, parei de cantar e lentamente as noites voltaram a ser revoltosas e o calor do coração voltou a interferir com as minhas opções que necessitavam de senso e seriedade. E a minha mente foi desistindo da vida que levava para se encontrar, desenfreadamente, com um amor que não podia amar".

    Não creio serem necessárias muitas mais palavras ... Um dia quando for "grande", vou querer escrever como o pensador. Até lá "revejo-me", em fragmentos dos teus momentos. Tal e qual assim me sinto.

    Bom fds, beijo n´oteudoceolhar

    ResponderEliminar
  40. A tua capacidade em (re)criares situações na beleza das palavras, é bela :)

    O teu gd abraço :)

    ResponderEliminar
  41. obrigada *
    (o amor é uma porcaria :s)

    ResponderEliminar
  42. obrigada *
    (o amor é uma porcaria :s)

    ResponderEliminar
  43. Acho que você e Carlos Drummond de Andrade tem muito a conversar. Depois dele, foi a melhor escrita sobre "pedra" que já li na vida... Perfeita. Já não consigo viver sem ler suas postagens!!!

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *