Inércia em Peito I

14:42

Parte I
Ele continua em tronco nu, desvairado no seu sofá, tapado até à cintura com uma manta de lã. As cores são desvanecidas com o fumo do seu cigarro aceso nos dedos em forma de V. A sua janela chora com o tempo enternecedor. De quando em vez passa com a outra mão, a que está livre do cigarro, pela face, procurando cicatrizes ou certificando-se de que ainda é humano. O cabelo está desalinhado e cai-lhe sobre as orelhas, negro, macio. Os olhos para nada olham. Focam e desfocam acções que não são escritas na parede branca, concentram-se no interior da alma marcada. Por vezes um outro barulho leva-o a piscar os olhos; mas não demora muito a perder-se nele mesmo. E isso acontece com frequência. Não são encontrados motivos concretos para aquele estado que não sejam os sentimentos. Porque esses são capazes de nos destruir por dentro, preocupando as novas metas, apagando as melhores recordações. Ele não sabe lidar com eles, pois os sentimentos mentem e anestesiam o cérebro. Ele já se perdeu uma vez e por agora bastava voltar a reencontrar-se, era tudo o que pedia. Tudo. Até que Ela voltou a romper no nevoeiro do fumo do seu cigarro. Piscou os olhos, Ela fora-se como da outra vez. Sem aviso, sem um beijo ou sem piscar os olhos. Ele ficou e espera de novo. Não sabe se deve mas uma vez que deixou os sentimentos tomarem conta de si, agora, não tem outra opção se não esperar. E os olhos fecharam-se enquanto a janela continuava a lacrimejar atrás de si.



You Might Also Like

37 comentários

  1. paulinho, como estás?
    já não falamos há tanto tempo! ainda te lembras de mim?*

    ResponderEliminar
  2. Olá Paulo,

    Será inércia com dor, o que é mais grave.
    O teu texto é soturno, melancólico, talvez como o estado de alma, que alguém experimentou ou está a experimentar.
    Há sempre saídas, sem nevoeiro. Esse, deixa-o para o regresso de D. Sebastião.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Paulo,

    Não! Ninguém, voluntariamente quer estar, ver o nevoeiro nos olhos e na vida.
    Procuramos e queremos claridade e muita luz.
    As experiências são fundamentais e enriquecedoras, e, nalguns casos, com elas, encontramos o perfeito.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Sempre temos algo a esperar. :) Parabéns pelo blog, adorei o espaço.

    ResponderEliminar
  5. A despedida é triste e dolorosa. Quando se ama queremos o nosso companheiro presente na nossa vida, nos bons e maus momentos. o contrário disto nos deixa sem motivação e sem estímulos!
    ---
    lindo post! Vou aguardar a parte 2!
    ---
    Espero sua visita e comentários em: blogestarcomvoce.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. Vez ou outra ela aparecerá mesmo que seja em nuances do seu cigarro.
    Muito bom texto, continue assim (:
    Beijo anjo!

    ResponderEliminar
  7. Eu adoro contos, ainda mais quando dividem em partes, fico aguardando as atualizações. =)

    ResponderEliminar
  8. está lindo, adorei, adorei *

    ResponderEliminar
  9. "Ele já se perdeu uma vez e por agora bastava voltar a reencontrar-se, era tudo o que pedia. Tudo. Até que Ela voltou a romper no nevoeiro do fumo do seu cigarro. Piscou os olhos, Ela fora-se como da outra vez."
    Que lindo, aliás todo o texto é mesmo fantástico, parabéns. Verdadeiro e dá mesmo para pensar em coisas que nos acontecem/aconteceram :)
    Quanto ao teu comentário, não podia mesmo estar mais de acordo. Há dias sim, dias não, e outros dias "nem tanto nem tão pouco" como disseste. Obrigada pela força! E continua a escrever sempre :D

    ResponderEliminar
  10. Eu é que digo "não tens de agradecer" :)
    Adoro completamente essa frase, meu Deus :$ E o que dizes é tão verdade. E é assim que aprendemos, porque precisamos sempre de outras pessoas para que sejamos mais "completos" :)

    ResponderEliminar
  11. Tu também :)
    Eu também acho que tenho eheh (:

    ResponderEliminar
  12. O ato de procurar cicatrizes, em si, é a amostra de desespero de uma alma machucada que não vê no corpo as razões dessas e de outras lesões. Me pegou nesse texto mais uma vez.

    ResponderEliminar
  13. Obrigado :) e sim por um lado tens razão , mas por vezes é difícil, confuso tomar uma decisão....

    ResponderEliminar
  14. Hmm..interessante este texto. A sério. Dá que pensar..os "sentimentos" obrigam-te a fazer esperar. Realmente, o coração manda sempre mais alto..

    Beijo grande, espero que esteja tudo bem**

    ResponderEliminar
  15. Os sentimentos... sempre eles a interferirem no rumo da nossa vida, da nossa historia pessoal...
    Beijito.

    ResponderEliminar
  16. Boa harmonia entre o texto e as fotos.

    ResponderEliminar
  17. Oh, quem me dera que o lado mais forte fosse o que não cumpre a promessa. Levo sempre tudo muito a sério e faço tudo a que me comprometo, as promessas não são excepção...

    ResponderEliminar
  18. "Ele não sabe lidar com eles, pois os sentimentos mentem e anestesiam o cérebro." concordo. continuas a ser um dos meus maiores ídolos na escrita e até já tinha saudades de aqui passar e de ti também :$
    estou numa nova casa por motivos que já expliquei no outro blog.. como não disseste nada, não sei se queres continuar a seguir-me, mas eu cá estou, tua fiel seguidora <3

    ResponderEliminar
  19. "Se acabou foi porque tinhas amor de mais e a outra parte não o sabia receber." nunca tinha pensado assim sabes? mas o meu coração gostou de o ouvir. E obrigada por tudo mesmo! Nunca conseguirei agradecer todo o apoio que sempre me deste e que sei que continuarás a dar! :$

    ResponderEliminar
  20. Eu sei, querido, eu sei... Não o sinto de propósito, é apenas algo que há-de passar naturalmente.

    ResponderEliminar
  21. era tudo o que eu sentia sabes... e ainda sinto, infelizmente. mas agora acrescentou-se a isso uma mágoa que teima em não sair... és um doce <3
    assim espero, daqui a muito tempo, agora só quero paz, nada mais que isso.

    ResponderEliminar
  22. já me disseram isso, mas ainda me custa... mas vou tentar, prometo.

    ResponderEliminar
  23. Que texto lindo Paulo, juro que fiquei emocionado ao lê-lo. Foi escrito numa pureza assim que não sei descrever, só dizer que ficou ótimo. Muito gostoso de se ler, é aquele tipo de texto que você começa a ler e o devora em poucos segundos de bom que é.

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *