Decido por Mim

10:33

Parte I
E por vezes, no meio do processo, esquecemos o porquê de todas aquelas escolhas, olhamos para trás e não nos identificamos mais com a pessoa que fomos mas estamos ainda mais confusos perante a pessoa em que nos tornámos. Não existe qualquer tipo de livro explicativo com passos indicados para a vida, para evitar erros ou tomar decisões que não se pareçam precipitadas e que a finalidade seja a melhor. Então, é por isso que temos de ser nós a escrever no livro que é tão nosso, só nosso e para nós. Quando estivermos de cabeça erguida, perante todo o desencadeamento da história e conseguirmos sorrir, saberemos que ali é onde devemos estar e todo o passado foi descrito conforme fora planeado pelo destino. Mas, se ali estivermos, com pensamentos nauseabundos saberemos que os passos foram aldrabados pelas cordas de uma música que lentamente nos prenderam os movimentos. E aí saberemos que o nosso corpo resta vazio de todas as memórias num tempo que não é o dele, por fim tomba no chão e a poeira levanta-se sobre uns olhos que perdem o brilho que julgaram eterno.


You Might Also Like

43 comentários

  1. Olá
    encontrei seu Blog navegando por alguns outros
    e gostei muito do que vi por aqui
    estou te seguindo

    me visita, e segue, se gostar...

    beijos

    http://rgqueen.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. "E aí saberemos que o nosso corpo resta vazio de todas as memórias num tempo que não é o dele, por fim tomba no chão e a poeira levanta-se sobre uns olhos que perdem o brilho que julgaram eterno".

    Belíssimo. Quanto ao resto, Paulo, estamos continuamente em mudança e deve haver sempre tempo para actualizarmos as nossas decisões.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Só conhecemos a razão da escolha no momento em que a fazemos. Depois, se a julgamos feliz, paramos de nos questionar. Se traz decepção, queremos respostas, mas já não somos os mesmos.

    Bjs.

    ResponderEliminar
  4. Mais que um presente essa escrita: um tesouro! Como sempre, lindo lindo ler o que escreves meu querido amigo! Obrigado por "recomeçar" mais um ano aqui nesse seu "nosso" cantinho!

    ResponderEliminar
  5. amei, como sempre.
    gostei especialmente desta parte " olhamos para trás e não nos identificamos mais com a pessoa que fomos mas estamos ainda mais confusos perante a pessoa em que nos tornámos. "
    um beijinho *

    ResponderEliminar
  6. quando olhamos para trás, questionamo-nos tanto acerca das decisões que tomámos e da forma como agimos...e por vezes achamos ridículo. Mas a verdade é que na altura não o era e se relermos as nossas antigas palavras vamos talvez, reencontrar sentimentos que justicam qualquer um dos nossos actos, que ridículos ou não, faram sempre parte da nossa história.

    ResponderEliminar
  7. Adorei, encontrei o teu blog através de outros e conseguiste colar-me ao texto, parabéns. sigo :)

    ResponderEliminar
  8. tão mas tão bem dito, gostei sim sr. (: *

    ResponderEliminar
  9. É complicado quando não percebemos nossas próprias mudanças, quando alguém olha, te analisa e simplesmente diz: como você tá diferente, seja lá em que sentido for, é estranho, as vezes muito bom por outras bem ruins.

    ResponderEliminar
  10. Olá Paulo,

    FORTE E IMPERATIVO TÍTULO!

    Assim, deve ser, mas... há sempre um mas, que nos rouba a fantasia, já não sei quem dizia.
    Pensar, por vezes, a dois, é tarefa agradável e fácil. Imagina, junto à praia, sentados na areia, falando de tudo e de nada. Era sucesso garantido e solução encontrada.
    Rematar, depois, com duas ou três laçadas da linha, com que estavam a alinhar a vida. Já não rompe, está seguro e decidido.
    Bom, depois, podes agradecer, rematar de outra forma qualquer, lógica, consciente e que te passe pelo cérebro.

    A GERÊNCIA AGRADECE.

    Escolhe bem, a outra parte pensante, que tem de gostar do mar e da praia, porque para conjecturas em conjunturas e com dúvidas, já temos muitas.

    ÉS UM SONHO ASSUMIDO. Quero, concluo.

    Os sonhos, às vezes, DESEMBRULHAM-SE, mas, há gente, que tem um jeito para fazer embrulhos!
    Poeira? Nem pensar, só se o vento, aquela leve brisa, que se levanta ao entardecer, te fechar os olhos e aí, tanta coisa pode acontecer.
    Quando os abrires, já nasceu o sol e a luz inundará o teu olhar.
    VAMOS?

    Abraço.

    ResponderEliminar
  11. Escrever a nossa própria história, pois somos donos do livro. Autor da lágrima e do sorriso. Basta decidi qual o capítulo de hoje.
    Beijos Paulo *-*

    ResponderEliminar
  12. "(...)o passado foi descrito conforme fora planeado pelo destino(...)" - será que foi mesmo?
    gostei do texto, boa continuação de escrita :)

    ResponderEliminar
  13. Eu, por vezes, sorrio. Há coisas que gostaria de ter feito e coisas que gostaria de não ter feito. Mas estou contente com a pessoa que sou.

    ResponderEliminar
  14. Gostei muito! Parabéns, está um beíssimo texto.

    ResponderEliminar
  15. Boa tarde Paulo,

    A vida é mesmo imprevisível, estou a plagiar-te, como já percebeste.
    Bom , e para que serve a Sociedade Portuguesa de Autores?
    Já cheguei.
    Claro, que voltarás. É isso, que, assumidamente, (tenho de ter cuidado com os advérbios de modo), pretendes.
    Então, espero-te para mais uma conversa. Trataste bem a Borboleta? Namoram? Não posso querer.
    Aqui há muito sol e luz.

    Até já.

    ResponderEliminar
  16. A mim passa ao lado, desde que ninguém me venha chatear :)

    ResponderEliminar
  17. com destino escrito ou não devemos sempre seguir o nosso coração ;)

    ResponderEliminar
  18. Olá Paulo,

    Só, agora reparei, que o teu texto tem Parte I. Ah! Isto promete.
    Manual de Instruções, não seria má ideia, mas cada um de nós é um mundo. Carregamos nos botões e depois não funcionamos, não sonhamos, não vivemos.
    Era importante dizer-te isto.
    Voltei.

    Abraço com volta.

    ResponderEliminar
  19. Como foi que Steve Jobs falou mesmo? Algo como: "é preciso acreditar que os pontos ligados vão conectar você com o futuro. É preciso confiar em alguma coisa: coragem, destino, vida, carma, qualquer coisa.". Eu só sei viver assim, mudando a cada dia, ligando pontos. Essa coisa de destino pode dar certo, quem sabe...

    Gostei, gostei muito. Foi muito bom ter encontrado você por essa blogosfera!

    Bjs

    ResponderEliminar
  20. adorei o blog e é óbvio que sigo (:
    Gostava que desses a tua opiniao acerca do meu http://decorpoealmatatc.blogspot.com/ e se gostasses, seguisses, era óptimo.
    beijinhos :)

    ResponderEliminar
  21. adorei, as tuas palavras revelam uma grande verdade. somos nós que temos de fazer o nosso 'livro de vida', tal como somos responsáveis pelas escolhas que tomamos, queiramos ou não admitir essa responsabilidade. por vezes, tal como dizes, não nos identificamos com a pessoa que éramos, noutras vemos o quanto crescemos. (;

    ResponderEliminar
  22. This makes one think. Marvelous writing.

    ResponderEliminar
  23. muito lindo colega!
    adorei as imagens.

    ResponderEliminar
  24. está lindo o texto!
    'Quando estivermos de cabeça erguida, perante todo o desencadeamento da história e conseguirmos sorrir, saberemos que ali é onde devemos estar e todo o passado foi descrito conforme fora planeado pelo destino.' adorei.

    ResponderEliminar
  25. "Quando estivermos de cabeça erguida, perante todo o desencadeamento da história e conseguirmos sorrir, saberemos que ali é onde devemos estar e todo o passado foi descrito conforme fora planeado pelo destino."
    Adorei este texto, é muito lindo, e este trecho foi o que mais me chamou a atenção. Algo a se pensar.

    ResponderEliminar
  26. eu to pra lá de saber quanta percepção... ta doido maluco... túbom o texto ñ consiguir desgrudar, muita reflexão eu concordo inteiramente.

    nuasecruas2

    ResponderEliminar
  27. o insuportável e querido MAS!

    BEIJOS
    :)

    ResponderEliminar
  28. sim, concordo contigo. por vezes, o tempo é pouco, mas se vivermos com intensidade não será esquecido, nunca. neste caso, foi ambas as coisas - demasiado tempo vivido com demasiada intensidade <3

    ResponderEliminar
  29. adoro o novo visual paulo, sem dúvida nenhuma! espero que estejas bem (: beijinhos enormes.

    ResponderEliminar
  30. Gostei muito, Paulo. Gostei muito mesmo. Até agora, foi o que mais gostei dos teus excelente textos.

    Beijinho e bom ano*

    ResponderEliminar
  31. lindo és tu :$
    está lindo o texto, como sempre (:

    ResponderEliminar
  32. Nem mais :) adoro os teus textos *

    ResponderEliminar
  33. claro que sim, lindo :)) eu estou bem, estou sempre ahah

    ResponderEliminar
  34. De tudo o que vejo e leio nessa minha viagem virtual de internet, entrando e saindo de sites,blogs, espaços e mais espaços(alguns "vazios" que nem se pode denominar de espaço)eis que encontrei UM que que me cativou e me tomou o precioso tempo.Devemos sempre ser assim na WEB...Transmitir algo de prazeroso e que nos faça refletir.Afinal,VIVER ainda é o melhor "donwload" que a nossa essência pode fazer.Um abraço amigo do BRASIL DA PENA,
    Rubi Valente.

    ResponderEliminar
  35. sigo*
    http://anacidade.blogspot.com/, este é o meu blog, passa por lá e se gostares segue, obrigada e desculpa incomodar. (:

    ResponderEliminar
  36. Texto muito bom, assim como vários outros que, aqui encontrei.
    Achei teu blog por acaso, mas a partir de agora, passo a seguir e concerteza, a frequentar constantemente.

    Até mais!

    escrita-fina.blogspot.com

    ResponderEliminar
  37. "Não existe qualquer tipo de livro explicativo com passos indicados para a vida, para evitar erros ou tomar decisões que não se pareçam precipitadas e que a finalidade seja a melhor. Então, é por isso que temos de ser nós a escrever no livro que é tão nosso, só nosso e para nós".

    Paulo,

    pensador, aquele pensador, que mais parece "ler-me", num gesto de telepatia (entenda-se, que me identifico com as tuas palavras, não vá haver mal entendido) ...

    Como são tão mas tão verdadeiras, uma a uma juntas num todo de um texto sob o olhar atento do mar, esse Mar tão meu.
    (pelo menos penso não falar no local, estive aí a passear, depois coloco foto, faz-me tão bem ir limpar a alma, a olhar esse Mar, é que ele é diferente de todos os outros, os outros aqueles que não fazem parte deste mundo é que não sabem ;) por isso esse Mar é só "nosso").

    Vamos então caminhar, no fim nos tornarmos na pessoa que somos, não naquela pessoa que o mundo nos quer fazer crer sermos...fará sentido.
    Creio que faz.
    Pensador, sempre refrescante e apaziguador ler-te.

    Beijo n´oteudoceolhar.
    (adoro o olhar contemplativo do template, um até breve)

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *