Baloiço

13:37

Um pequeno e limitado vento que passa por mim. Desnorteado me encontro. Não tenho noção daquilo que estou a precisar. Não sei se sinto necessidade de recordar cada linha do nosso passado ou se simplesmente o quero deixar guardado no fundo de um baú. Mas a cada pensamento tem crescido e intensificado uma sombra de um buraco encontrado no meu peito. Um abraço, um leve beijo ou apenas aquelas palavras que costumávamos pronunciar, simples mas com tanto significado verdadeiro. É amor daquilo que eu mais sinto falta mas isso não me impede de procurar satisfazê-lo com outras coisas, outras necessidades. Até porque sei que o amor é um autêntico baloiço, não só pelas suas subidas e descidas mas também porque é possível de nutrir apenas com uma pessoa. Um amor só, mas próprio. Além disso, a verdadeira força encontra-se quando somos capazes de sorrir mesmo faltando uma parte de nós, porque não irei eu sobreviver quando tudo aponta para que consiga viver?


You Might Also Like

32 comentários

  1. "Um abraço, um leve beijo ou apenas aquelas palavras que costumávamos pronunciar, simples mas com tanto significado verdadeiro. É amor daquilo que eu mais sinto falta mas isso não me impede de procurar satisfazê-lo com outras coisas, outras necessidades." perfeito!

    ResponderEliminar
  2. não é fácil mas conseguimos..

    ResponderEliminar
  3. Nada melhor do que, devagar, arrumar os sentires e recordações nas gavetas. Estas não devem ser fechadas. Encostadas, apenas...

    Força.

    Abraço,
    Paulo

    ResponderEliminar
  4. Ai PAULO LINDO!
    Parabéns!
    beijo

    ResponderEliminar
  5. Sim, sobrevivemos todos os dias.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Irás sim sobreviver. Temos todos momentos de paragens no tempo, no espaço, em nós próprios. Momentos em que tudo parece mau - talvez sejam esses momentos de baloiço bem baixo, bem parado. Mas para cada paragem de baloiço, existem duas subidas: uma para cima, outra para baixo. Quando menos deres por ti, alguém dará o empurrão necessário, e acredita - tudo vai voltar ao auge daquilo que és.

    FINGERPRINT | Touch the World
    http://fingerprinttouchtheworld.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Sendo assim, sinto-me muito franca pois falta-me muitos pedaços...

    Beijos, boa noite.

    ResponderEliminar
  8. pois esse é o problema que ninguém pensa nas consequências, antes dos actos s:

    ResponderEliminar
  9. Português deixa-me sempre assim, nervosa, muito nervosa. Oh, muito obrigada Paulo *-*

    ResponderEliminar
  10. o amor vive de si mesmo mas tem horas que fica pesado amar sózinho, e você cansa.

    ResponderEliminar
  11. Identifiquei-me tanto com o texto. Adorei completamente *-*

    ResponderEliminar
  12. Oi! Está rolando um sorteio bacana no meu blog! Participa aê! O vencedor poderá escolher entre uma capa para iPad do Marc Jacobs ou o livro Icons da Louis Vuitton! Abraço!

    http://acordeifashionista.blogspot.com/2011/11/concurso-cultural-bolsasdevalornet.html

    ResponderEliminar
  13. Estamos sempre a balançar. Vamos e voltamos do passado. Trazemos de lá as lembranças, na espera de que possam preencher vazios de amor. Mas esses espaços ocos, deixados por quem se vai, assim permanecem, até que possamos viver sem andar para trás. O balanço vai e vem, mas nós podemos caminhar sem volta.

    Você escreve com o coração.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  14. "Não sei se sinto necessidade de recordar cada linha do nosso passado ou se simplesmente o quero deixar guardado no fundo de um baú." Quantas vezes nos deparamos com estes dilemas? Parece que a história morreu as que as memórias parecem tão vivas em nós, naquilo que vamos sentindo num tempo em que nos perdemos de nós próprios. Compreendo cada linha deste teu texto e sinto aquilo que transmites de uma forma muito boa. Grande abraço Paulo :)

    ResponderEliminar
  15. Ora nada que agradecer :))

    ResponderEliminar
  16. O amor não se encontra, não se acha. Ele nos escolhe.

    ResponderEliminar
  17. Também é do amor que eu mais sinto falta...
    Mas temos que viver... irás sobreviver sim...mas agora deves (tu como eu) de te sentir um pouco submerso…

    ResponderEliminar
  18. Obrigado Paulo.(:
    Está lindíssimo este, e tens toda a razão "porque não irei eu sobreviver quando tudo aponta para que consiga viver?" amei esta frase, é ter muita força e seguir em frente independentemente do quanto custar e do tamanho da queda só temos de nos erguer e continuar a viver. beijinho ♥

    ResponderEliminar
  19. eu, 37/38. precisas de encolher um pouco o pé xD

    ResponderEliminar
  20. Sou falha nesse aspecto (nesse também, quero dizer, e em outros tantos...), meu querido Paulo : não consigo sorrir sem ser de verdade.

    Quando estou com a alma ardendo em dúvidas, urgências e faltas, como agora, nada de sorrisos por aqui.

    =\

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  21. Tão querido, para variar xD <3

    ResponderEliminar
  22. eu sei disso, mas de momento não me encontro nessa situação.
    belo texto, como sempre (:

    ResponderEliminar
  23. wow que blog :o
    adorei o texto, é tão ... profundo!
    vou seguir-te, e tentar acompanhar cada publicação tua!

    ResponderEliminar
  24. Sorrir quando nos falta um pedaço tão importante é reflexo de muita força...

    Linda postagem, pra variar.
    Adoro o blog :)

    ResponderEliminar
  25. "se dizem que é impossível, eu digo é necessário, seguir viagem" sempre em frente, mesmo sem uma parte que já foi nossa...

    ResponderEliminar
  26. És um tonto! :)
    e também acho que o amor é como um baloiço, por isso que dizes, e porque há momentos em que a andar de baloiço parece que voamos... tal como no amor *.*
    será mais cedo do que pensas ;) <3

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *