Dia 11 de Dezembro.

10:30

Por vezes temos momentos em que o melhor é mesmo isolarmo-nos do mundo. Levar apenas aquilo que nos é mais importante e dizer adeus a tudo o resto enquanto tentamos meter a cabeça de acordo com a alma e o coração.

Por vezes só precisamos de querer e lutar um pouco para conquistar. É a conclusão a que sempre chego...

You Might Also Like

32 comentários

  1. Tens toda a razão! Muito obrigada*

    ResponderEliminar
  2. Conclusão sábia... nada nos vem até nós de mão beijada! Por isso luta, luta sempre pois no final tem sempre outro sabor... sabor a conquista! ;)

    ResponderEliminar
  3. e você está correto..

    Bjs

    Mila

    ResponderEliminar
  4. É meu anjo, às vezes só estamos bem é sozinhos, sem mais ninguém para nos 'chatear'. Entendo-te <3

    ResponderEliminar
  5. e é uma conclusão universal, (:

    ResponderEliminar
  6. Concordo com você...acho mesmo que o mais importante para se chegar onde quer e perder a esperança. Sim, se livrar do desejar muito, se esvaziar, viver com o coração limpo e sem alimentar possíveis frustrações.

    Gosto muito do seu blog e sempre acompanho.

    http://sabordaletra.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Seria otimo que o que achamos ser o melhor pudesse realmente acontecer, mas não é assim e o que nos resta? Resta seguir adiante com o melhor e com o pior também, é a vida.

    ResponderEliminar
  8. - Temos que querer e lutar mas nem sempre existem forças para o fazer. Gostei.

    ResponderEliminar
  9. sim, é verdade. A força aparece do nada.
    Mas, (...) amizade pura? Ficar sem ver uma das pessoa mais importantes da nossa vida durante meses até é complicado.

    ResponderEliminar
  10. Concordo plenamente com o seu texto.

    ResponderEliminar
  11. preciso de abraços, e de uma dose de amor.

    ResponderEliminar
  12. Daniel passou vários séculos a apaixonar-se pela mesma rapariga. Vida após vida, atravessando continentes e dinastias, ele e Sophia (apesar de ela mudar de nome e forma) têm sido atraídos um para o outro, e ele lembra-se de tudo. Daniel tem «a memória», a capacidade de recordar vidas passadas e reconhecer as almas daqueles com quem viveu anteriormente. É um dom e uma maldição. Por todas as vezes que ele e Sophia estiveram juntos ao longo da história, também foram afastados dolorosamente, fatalmente. Um amor sempre demasiado curto.Intercalados na actual relação de Sophia e Daniel há vislumbres da sua longa história juntos. Da Ásia Menor em 552 à Inglaterra de 1918 e à Virginia de 1972, as duas almas partilham um longo e, por vezes, tortuoso caminho de busca contínua uma pela outra. Mas quando a jovem Sophia (agora «Lucy» no presente) começa finalmente a despertar para o segredo do seu passado em comum, a compreender a verdadeira razão da intensidade da sua atracção, a força misteriosa que sempre os afastou reaparece. Em última análise, têm de compreender o que se atravessa no caminho do seu amor para poderem passar a vida juntos.Em Nome da Memória, uma história mágica de amor verdadeiro, devastadora e cheia de suspense, prova o poder e a resistência de uma união que estava destinada a ser.
    Copiei de outro blogue de uma outra pessoa que leu o livro... é pra veres que nem paxourra tenho pra escrever aqui sobre o que fala o livro xD

    ResponderEliminar
  13. Há momentos na vida q é de reflexão, luta, vitorias, enfim...
    A vida é feita d fases

    ResponderEliminar
  14. A vida é um género de montanha russa. Tens lutado muito. Admiro-te.

    ResponderEliminar
  15. É verdade, e principalmente, quando estamos da pior maneira e não queremos que alguém note. Por vezes a máscara até ajuda..

    ResponderEliminar
  16. Gosto mesmo quando compreendes, amor :$

    ResponderEliminar
  17. No meu blog esta a decorrer uma sondagem.Se puderes da la um saltinho ;) obrigado.

    ResponderEliminar
  18. ADORO verdade, verdade, verdade

    ResponderEliminar
  19. É uma questão de motivação e serenidade para o regresso. Abraçoooooooo ;)

    ResponderEliminar
  20. sim, mas sinto q falta qqer coisa :/

    ResponderEliminar
  21. como eu te compreendo, como eu me identifico com tudo isto...
    <3

    ResponderEliminar
  22. pois é... também chego frequentemente a essa conclusão..
    gostei!!

    ResponderEliminar
  23. E é uma óptima conclusão :)

    ResponderEliminar
  24. "mas pior ainda é ver aquela pessoa que tanto pensaste ser tua amiga e tanto te ajudou já não querer saber, passar por ti e nem olhar, não sorrir e nem te falar." , passo pelo mesmo todos os dias, com um amigo, além de o amar nós éramos amigos, mas ele esqueceu-se disso por isso.

    ResponderEliminar
  25. É bom mesmo dar uma tempo para a nossa cabeça pensar! Tbm me identifiquei com seus textos! Obrigada pela visita, espero te ver por lá mais vezes! Beijo.

    ResponderEliminar
  26. E não é tempo perdido. Quem não se isola, um momento que seja, para pensar na vida, no mundo, no que nos rodeia, não sabe sequer o que é viver. Viver é muito mais do que ver as coisas acontecerem, mas fazer com que aconteça e é sempre preciso um isolamento de alma.

    ResponderEliminar
  27. O que levamos connosco é sempre uma parte, apenas o essencial. o isolar-mo-nos e ficar num cantinho só nosso é algo que é preciso, como uma forma de manter o equilíbrio entre a mente, o coração, nós, os outros, acontecimentos e memórias. Às vezes, só assim percebemos o que realmente aconteceu e acontece. (mas não te esqueças de não te isolares demais, Pali; a foto ficou fofa)

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *