Correste até mim.

12:13

Imaginei-te de pé. Com as calças de fato de treino já vestidas e uma t-shirt que mostrava que também tens um corpo meio escanzelado. Levaste a mão a cara e afagaste o cabelo com um jeito de criança,  depois calças-te umas meias pretas no toque sereno da manhã e depois os ténis desportivos que te assentam como uma luva. (mas nos pés) Depois saíste pela porta fora. 

Deu-se o choque da a brisa fresca da manhã e do teu corpo quente e acabado de se levantar da cama, mas apenas sorriste e fizeste "BRR" com os lábios como se imitasses um cavalo. Cerraste as mãos e alongaste mesmo ali à porta de casa. 

Subiste a colina e o sol batia-te levemente na cara sorridente. Depois de chegares ao topo e mirares o mar, olhaste para o lado e ali estava eu. Vi os teus olhos semicerrarem-se e os teus passos a aumentarem de ritmo. Estendeste os braços e jogaste-me para o chão contigo. 

Por incrível que pareça consegui ver-nos aos dois deitados sobre a areia fresca de mãos dadas. 

Promete-me que aconteça o que acontecer ficas comigo... 
 Embora eu saiba que basta sair abrir a porta e sair por ela que te esqueces logo de mim.

( imagem de MaggieShort )

You Might Also Like

30 comentários

  1. Obrigada por me entenderes Paulo !

    ResponderEliminar
  2. Aiaia, você me fez suspirar, viajei nesse encontro, adorei...

    Bjinhos

    Mila

    ResponderEliminar
  3. A roupa prática é sempre um charme! ;)

    Olhos que não vêem, coração que não sente!

    Beijo

    ResponderEliminar
  4. o problema é que esta pessoa , não está mesmo por distância e por mais que eu queira estar com ele há sempre um se não :x

    Acredito !

    ResponderEliminar
  5. Como adorei o texto. Faz-nos imaginar esse mesmo momento cheio de emoção :)

    ResponderEliminar
  6. Gostei muito do texto.
    O final me lembrou uma música de Zélia Duncan, que amo, "Não vá ainda".

    http://sabordaletra.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Identifico-me com a fase decadentista de Álvaro de Campos, mas venerar, venero Bernardo Soares (:

    ResponderEliminar
  8. lindo..nao acredito que te esqueça assim. de certeza.
    beijo*

    ResponderEliminar
  9. Que lindo! Mas a última frase é mesmo marcante, pelo menos, é o que eu penso! Adoro!!

    ResponderEliminar
  10. nao me esqueço nunca de ti <3

    ResponderEliminar
  11. Eu também gosto, e só publicava algumas coisas em inglês por causa de ter o Blog no Twitter e algumas pessoas íam lá ver. Mas já prometi ontem que escrevia em português. Obrigada :)

    ResponderEliminar
  12. Ultimamente parece que tudo o que escrevo sai sem nexo algum, ou não faz sentido :s Não gosto mesmo nada quando isso acontece.

    ResponderEliminar
  13. não gosto de ser assim, mas por vezes é necessário:/
    tens uma veia de escritor e adoro tanto o que escreves :)

    ResponderEliminar
  14. Fazes sempre levar para esses momentos...
    É tão bom saber que ainda há gente que tem em si, um dos maiores ideais da vida, amar incondicionalmente e com paixão. Com tudo o que o amor tem direito.

    Beijos

    ResponderEliminar
  15. É verdade. Para nós, pode não fazer sentido, mas para outro alguém, o texto pode significar bastante. Concordo muito com o que disseste!

    ResponderEliminar
  16. Consegues fazer com que cada um ao ler os teus textos consiga viajar nesse pensamento. adorei, Paulo!*

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  17. Obrigada :) Desejo muitas para ti também^^
    *adorei o texto ;)

    By:AC

    ResponderEliminar
  18. os teus textos são perfeitos para nos pormos no momento +.+
    margarida é uma das melhores :)

    ResponderEliminar
  19. Dizes então que o livro que tás a ler é bom?

    ResponderEliminar
  20. enquadraste-te no texto? :)
    quanto ao teu digo que é sempre bom termos a simples certeza que temos um ombro, é sempre bom sentirmos uma segurança de alguém, alguém que nos protege. Queremos sempre isso, uma presença certa.

    ResponderEliminar
  21. Parece a ser interessante :)

    Vai ser um bom investimento, mas ainda tenho que acabar a "Filha do Capitão" e já encomendei o "Em nome da memória, no entanto acho que não vai ser muito aquilo que estava à espera, porque tem uma história que parece a ser interessante, mas estou achando poucas páginas para desenvolver a história...

    ResponderEliminar
  22. obrigado :) na minha loja tbm vou dar aulas de surf ahahahaha ^^

    ResponderEliminar
  23. Lindo, Pali. Um texto levezinho. Tá fofo. É normal teres essas visões de momentos lindos. Sabes porquê? o que sentes é lindo e puro por isso, o que escreves é igualmente belo.

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *