Partiste.

05:29

Sentei-me ao teu lado naquele sofá onde tantas outras vezes nos sentámos. Lembro-me muito bem de todos os filmes que vimos agarrados e das vezes em que chorámos um ao pé do outro.

Mas este dia era diferente. Estavas mais doente que o habitual, mal conseguia olhar para ti... Sentia os teus olhos pesados percorrerem os meus traços faciais e podia ver a tua mão a tremer porque me querias tocar e não tinhas coragem.

Levantei o meu braço e meti-o à tua volta. Com a minha mão acariciei os teus cabelos e depois coloquei-me ainda mais juntinho a ti. Estavas gelada e eu sentia esse frio mesmo sem tocar na tua pele.

Ouvia a tua respiração frágil ao pé da minha cabeça, colocaste a tua mão sobre o meu peito e depois chegaste os lábios à minha cara. Quase que os encostaste aos meus ouvidos e depois ouvi-te dizer num tom calmo e lamentável: - Estarei cá sempre.

Ouvi-te suspirar. A tua mão caiu e a tua cabeça pendeu para a frente. Deitei-te no sofá para ir chamar uma ambulância mas quando voltei, com as lágrimas nos olhos, já não estavas lá.

E assim, não me pesa mais a consciência.

Desafio:
# Day 19 - Outer Space (Parody - PokerFace)

You Might Also Like

21 comentários

  1. Está bem lindo paulo (:
    Gostei da última frase "assim, não me pesa mais a consciência."

    ResponderEliminar
  2. gostei da forma de como escreveste este texto..

    ResponderEliminar
  3. Quase não consegui ver até ao fim, que as lágrimas me turvavam a vista. Que gente mais má...

    Quanto ao teu post, Escreves muito bem. :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Siimm já estou a sentir o Verão a querer entrar para me iluminar eehhe :P


    Gosto no novo look do teu blog e o texto tá lindo :)

    ResponderEliminar
  5. Provavelmente seria o mais acertado, sim. É de certo que eu mais gostaria de fazer, libertar-me deste meu espírito prisioneiro. Mas, se o fizer sei bem quais são as consequências e eu não quero isso. Prefiro continuar a lutar para que esta minha cidade isolada se mantenha em pé. Prefiro continuar a lutar contra o "exército negro", pois só assim me irei encontrar. :)


    Tens aqui um texto bem escrito, parabéns, gostei.

    ResponderEliminar
  6. Devo dizer q também se sente o cheirinho do verão a entrar eheh :P

    ResponderEliminar
  7. eu nao encontro forças em lado nenhum, parece que desaparecem, que fogem de mim. Sinto-me tao mal :x

    ResponderEliminar
  8. Continua a escrever, tens muito jeito - a sério (:

    ResponderEliminar
  9. mas eu nao quero lutar, eu quero ter forças para conseguir desistir porque as esperanças que eu ainda tenho sao somente criadas por mim, ele nao me da esperanças, ele sorri e diz ola quando me vê e mais nada! já foi tudo tao diferente x:

    ResponderEliminar
  10. Adorei o texto.
    É Lindo, $:

    GOstei do teu blog, também. (:

    ResponderEliminar
  11. Uau! Este texto para além de estar repleto de sentimento, retrata na perfeição algo que me aconteceu recentemente. Escreves mesmo muito bem.
    Obrigada e bom fim de semana, para ti também.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. O teu texto tocou-me muito,
    já passei por algo assim e acabou da pior forma, para mim.

    Adorei a forma como escreveste, força :)

    ResponderEliminar
  13. Para mim nem todas tenhem sido :S

    ResponderEliminar
  14. Para mim nem todas tenhem sido

    ResponderEliminar
  15. Bigada :)

    Texto Brutal!*

    ResponderEliminar
  16. tens muita razão, mas muitas vezes é difícil .
    adorei o teu texto, muito !
    beijinho.

    ResponderEliminar
  17. Por mais estupido que pareça se nao ouvirmos a resposta que queriamos pensamos mais. Pensamos se fizemos bem em saber a resposta ou se mais valia ter estado calado e esquecer :S

    Bom texto mesmo (:

    ResponderEliminar
  18. Escreves coisas tão lindasss :$

    Tenho orgulho em poder dizer qe és meu AMIGO!

    Aliás, para mim até és mais qe isso :$ Tipo, um IRMÃO :')

    És bastante meu anjo <3 AMO-TE! @

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *