Respira e depois...

12:46

Conheço ao pormenor a sensação de abandono. O desespero da garganta quando quer soltar palavras e não consegue. Angustiado. É como eu me sinto todas as manhãs por saber que terei de enfrentar mais um dia, e depois outro. Durante a manhã até consigo pensar que será um bom dia mas depois chegam os terceiros e os quartos que estragam as conversas com o segundo, que por acaso até chegou primeiro.

Palavras, palavras para quê!? Não nos podíamos entender pelo olhar? Gesticular formosas sombras e deixar fluir o pensamento? Porque é que não podemos simplesmente desenhar na areia e deixar que interpretem. Podíamos apenas desenhar um traço e depois deixar os outros completar a figura como bem entenderem, talvez com duas ou três bolas, quatro ou cinco curvas!

Precisamos tanto das palavras que quase sufocamos! Todos os dias é a mesma coisa: pensamentos atordoantes, frases e palavras perdidas no meio da confusão do meu quarto, pessoas que entram e saem da minha vida à velocidade da luz e claro a dor do sub-consciente.

Até me doem aquelas ideias bárbaras que tenho de ser feliz! Aquelas ideias que me fazem querer sair deste país, as ideias, as ideias, AS IDEIAS.

Sacudo violentamente a cabeça todos os dias. Todos os dias sinto a confusão dentro de mim. E dentro de mim, todos os dias, violentamente, eu me esforço para conseguir escapar para um outro dia de pensamentos e confusão!

O que vale é a triste ideia que tenho de que um dia serei feliz.

You Might Also Like

12 comentários

  1. estáa fantástico (L)

    ResponderEliminar
  2. Não só um dia, mas sim muitos dias!
    Com força e calma rapaz *

    ResponderEliminar
  3. tu tens mesmo muito jeito para a escrita , adoro os teus textos e , sobre a última frase , acredita que tu serás feliz , muito (: posso não te conhecer há muitos anos e não falar contigo todos os dias e todas as horas sem parar , mas acredita que serás feliz :$ e parabéns , escrever muito bem mesmo , adoro adoro adoro .

    ResponderEliminar
  4. "Porque é que não podemos simplesmente desenhar na areia e deixar que interpretem. Podíamos apenas desenhar um traço e depois deixar os outros completar a figura como bem entenderem...". Era tão mais fácil, de facto.

    O texto está fantástico!

    ResponderEliminar
  5. bem digamos que a vida é feia de metas e quedas, de obstaculos e metas alcançadas...

    acredito que iras supera-las todas e no fim dizeres que valeu a pena todos esses "abanoes de cabeça" e esses dias assim

    beijinhos :)

    ResponderEliminar
  6. Bah, como este texto se identifica comigo ! :X
    Mas que isso é verdade lá isso é..
    E olha, SEREMOS BEM FELIZES ! :D
    Tens taaanto jeito meu amor, ily very much @

    ResponderEliminar
  7. compreendo-te e identifico-me contigo, mas ao mesmo tempo sinto-me pequenina,por não ser a única, por saber que há mais, mais do mesmo, adorei o teu post, ao menos q a angústia te sirva para escreveres cenas tão ou maus bonitas q esta, vê sempre lado bom das coisas, ou tenta pelo menos, mais uma vz adorei!

    beijinho*

    ResponderEliminar
  8. só me resta esperar :)
    beijinho*

    ResponderEliminar
  9. "Até me doem aquelas ideias bárbaras que tenho de ser feliz! Aquelas ideias que me fazem querer sair deste país, as ideias, as ideias, AS IDEIAS." acho que todos achamos isso :s

    ResponderEliminar
  10. pois, o ódio é mau... quando é verdadeiro, eu apenas o digo nao o sinto, porque na verdade ainda o amo :'(

    beijinhos *
    e obrigada

    ResponderEliminar

« A única pessoa que nunca comete erros é aquela que nunca faz nada. »

Obrigado pela visita *